Fomento
05/08/2008, 18:24

Edital de games deve ficar pronto no final de setembro

POR FERNANDO LAUTERJUNG

O edital de games da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura deve estar formatado até o final de agosto. Segundo anunciou o secretário Silvio Da-Rin em apresentação no File ? Festival Internacional de Linguagem Eletrônica, que acontece esta semana em São Paulo, o edital, preparado pelas secretarias do Audiovisual e de Projetos Culturais, pela Finep, pela Apex e pela Abragames, contemplará dez projetos de jogos. ?Mundialmente a indústria está consolidada. No Brasil, os usuários se contam aos milhões. No entanto, os conteúdos brasileiros são raros?, disse Da-Rin.
Conforme explicou o coordenador geral de televisão e novas mídias da SAV, Maurício Hirata, a este noticiário, o edital contará com R$ 1 milhão, que será aplicado no desenvolvimento de demos jogáveis. ?No passado, nós financiamos o desenvolvimento de games completos, mas o setor apontou que as demos são mais eficientes para buscar co-produção com quem possa fazer a distribuição?, diz. Segundo Hirata, a participação da Apex no edital é no sentido de financiar a presença das dez vencedores nos principais eventos internacionais de jogos eletrônicos. O edital deve estar formatado até o final de setembro.

Laboratórios

Silvio Da-Rin anunciou ainda que a SAV lançará ?nos próximos meses?, o XPTA.Lab. Trata-se de um concurso público que financiará os trabalhos de cinco laboratórios durante 24 meses. Os laboratórios deverão trabalhar no desenvolvimento de projetos de inovação ligados a qualquer linguagem audiovisual. ?A ação da Secretaria do Audiovisual não deve focar no fomento do produto, mas no desenvolvimento de novas linguagens?, disse Da-Rin. Segundo o secretário, este projeto deve receber recursos do Fundo Setorial do Audiovisual. Contudo, como o comitê gestor do fundo ainda não analisou a proposta, não é possível afirmar qual o valor disponibilizado para o edital. O projeto receberá ainda recursos do Ministério da Cultura e da Finep.
Segundo Maurício Hirata, estes laboratórios devem ser de instituições tradicionais, capazes de gerir os recursos e promover o chamamento público para a apresentação de projeto e para discussões. Os projetos podem explorar qualquer linguagem audiovisual, inclusive cinema, games, televisão, mas com propostas inovadoras. Seria possível, por exemplo, desenvolver um servidor para salas de cinema digital ou até mesmo programas para o middleware Ginga.

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 0-2017 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top