Congresso
05/11/2003, 18:45

Comissão polemiza, mas aprova homenagem a Roberto Marinho

POR REDAÇÃO

Um debate beirando o absurdo recheou a reunião da Comissão de Comunicação da Câmara dos Deputados nesta quarta, dia 5. Em pauta estava a aprovação (ou não) do projeto 1.650/03, do deputado Marcelo Ortiz (PV/SP), que institui o ano de 2004 como Ano Nacional Roberto Marinho. A primeira manifestação foi do relator, deputado Moreira Franco (PMDB/RJ): "Se esse projeto fosse discutido há algum tempo, causaria polêmica, mas hoje ninguém contesta a importância do Dr. Roberto Marinho na formação da cultura brasileira". Naturalmente, Moreira Franco manifestou parecer favorável ao tema. Walter Pinheiro (PT/BA) pediu então a palavra: "Não tenho nada a me opor a uma homenagem ao Roberto Marinho. Há divergências sim, mas no campo editorial. Eventuais divergências pessoais não vêm ao caso. O que questiono é em relação às despesas para a homenagem, que pelo projeto ficam sob a responsabilidade do Ministério da Cultura. A Câmara não pode criar despesas par um órgão do Executivo. Não discordo da homenagem e reconheço o papel da Globo para a cultura brasileira, mas é preciso ver a questão das despesas". Fala então o deputado Dr. Hélio (PDT/RJ), questionando o problema de se criar um selo comemorativo, o que oneraria os Correios. Wladimir Costa (PMDB/PA), radialista, resolve então se manifestar: "Sou contra a homenagem. A Globo deve milhões e milhões. Homenagear o dono de uma empresa nessas condições é absurdo". O deputado faz outros comentários, mais agressivos, mas que foram retirados da ata da reunião, a pedido da presidência da comissão. Alguém lembra que a homenagem é a uma pessoa, e que a empresa continua existindo para pagar suas dívidas. Lembram ainda que quatro presidentes da República foram ao funeral de Roberto Marinho. "Queriam aparecer na tela da Globo", diz Wladimir Costa. Eduardo Cunha (PMDB/RJ) se manifesta: "O pior constrangimento que existe para essa casa é propor uma homenagem e ficar discutindo o mérito dela. Ainda mais quando a pessoa não pediu essa homenagem". Abre-se a votação e o projeto de criar o Ano Nacional Roberto Marinho é aprovado, por unanimidade (inclusive com o voto do deputado Wladimir Costa). Será feita apenas uma recomendação ao autor em relação aos custos da homenagem. Antes de encerrar a sessão, o presidente da comissão, Corauci Sobrinho (PFL/SP), ainda abre espaço para uma última manifestação da deputada Luiza Erundina (PSB/SP): "Na minha opinião, é um pouco demais dar o nome de uma pessoa a um ano inteiro".

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 0-2017 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top