Rio Screenings & Seminars
08/10/2002, 20:00

Preservação de cópias de filmes é discutida no Rio

POR ALEX PATEZ GALVÃO

Membros do Centro de Pesquisa do Cinema Brasileiro (CPCB), palestrantes no seminário sobre a preservação do cinema nacional no Rio Screenings & Seminars, relataram seus esforços na preservação de obras nacionais importantes como "Aviso aos Navegantes", clássico brasileiro de 1950, e "Menino de Engenho", de Walter Lima Jr. A restauração do primeiro filme custou R$ 70 mil. O segundo, em fase final de processo de restauração, custou até agora R$ 120 mil. Os gastos referem-se apenas às despesas de laboratório. Segundo Marília Franco, professora da ECA-USP, os gastos de pesquisa que geralmente antecedem o restauro de um filme podem corresponder a mais que o total das despesas com laboratório. João Luiz Vieira, professor da Universidade Federal Fluminense, relatou o longo processo de deterioração sofrido pelas matrizes de filmes brasileiros antigos no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, assim como o recente "despejo" desse material. Vieira ressaltou a mobilização em torno da conservação dessas matrizes no Rio de Janeiro, o que trouxe uma nova consciência para a questão da preservação do cinema nacional. Cerca de 4,9 mil assinaturas foram colhidas em um abaixo-assinado defendendo a permanência das matrizes no Rio de Janeiro. A articulação de várias entidades ligadas ao cinema (ABRACI, SNIC, Associação dos Críticos do RJ, entre outras), resultou na promessa da prefeitura do Rio de Janeiro de alocar R$ 3 milhões – ainda não liberados – para que o Arquivo Nacional possa se adaptar para receber esse material. Esta instituição, sediada no Rio, e mais a Cinemateca Brasileira em São Paulo, estão recebendo, em proporções iguais, os 45 mil rolos (cerca de 9 mil títulos) de filmes que estavam no MAM-RJ. Martin Koerber, preservacionista da Cinemateca de Berlim, mostrou-se cético a respeito dos processos de restauração digital. "Se você tem um filme a restaurar, espere o máximo que puder, desde que ele não esteja se deteriorando" disse Koerber referindo-se à necessidade de boas matrizes para se passar para o digital e também à obsolescência constante das novas tecnologias e à falta de padrões para se armazenar e conservar os filmes em novos formatos. Além de participar do painel internacional sobre o investimento na preservação da memória cinematográfica, Koerber fez uma palestra específica sobre os processos técnicos envolvidos na restauração de "Metrópolis , de Fritz Lang, (orçado inicialmente em ? 200 mil) e outros filmes.

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 0-2017 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top