Radiodifusão
09/09/2002, 17:52

Emissoras constroem links próprios de microondas

POR SANDRA REGINA DA SILVA

Diante da decisão da Embratel em acabar com seus links analógicos de vídeo (chamado de serviço de TV programada) em diversos pontos do País, algumas emissoras de broadcast já decidiram o que fazer. Porém, parte delas pede que a Embratel dê um prazo maior para que possam se adequar. A TV Alterosa, afiliada ao SBT, por exemplo, decidiu construir o próprio link analógico de microondas ligando Belo Horizonte a Juiz de Fora, em Minas Gerais. ?Entendo o problema e a decisão da Embratel, mas o valor para instalar o sistema digital em Juiz de Fora inviabiliza o negócio, representa muito na receita da geradora local?, explica Getulio Malafaia, superintendente corporativo da TV Alterosa. ?Preciso que a Embratel mantenha o serviço analógico mais uns dois ou três meses, que é o tempo necessário para concluir o link.? De acordo com o executivo, o investimento (não revelado) se paga em dois anos, considerando aí a redução de custos com telefonia, serviço que será agregado à rede – as ligações interurbanas entre as TVs passam a ser internas. As demais geradoras da Rede Alterosa, localizadas em Varginha e Divinópolis, já estão ligadas por links próprios. Quanto ao envio do sinal do canal de BH para as geradoras, continua sendo via satélite pela StarOne (uma empresa da Embratel). Também não há problemas com a contribuição de notícias e eventos da TV Alterosa para o SBT em São Paulo, já que Belo Horizonte conta com o SmartVideo, o serviço digital da Embratel.
A TV Cultura de São Paulo, por sua vez, resolveu o problema em parte. Seu único contrato com Embratel no Estado de São Paulo é em Aparecida – nas demais cidades paulistas utiliza a rede da Telefônica, satélite e rotas próprias. ?Já temos um uplink em Aparecida. Agora só falta contratar o segmento espacial?, diz o engenheiro José Munhoz, diretor técnico da Cultura. Ele conta que a alternativa escolhida é um pouco mais cara que aquela até então utilizada via Embratel, mas compensa, pois a freqüência de uso é de apenas uma vez por semana – a emissora transmite a missa aos domingos. Saindo do Estado de São Paulo, a TV Cultura tem a garantia das 11 praças com o SmartVideo. Para as demais cidades brasileiras, no entanto, a emissora ainda não encontrou uma alternativa viável. ?O fim do serviço analógico da Embratel afeta o jornalismo. E muitas contribuições vindas de fora do Estado ficam comprometidas?, completa Munhoz.

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 0-2017 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top