Mostra
10/06/2013, 16:52

Centro Cultural de São Paulo exibe mostra com obras de Eric Rhomer em junho

POR REDAÇÃO

A Secretaria Municipal de Cultura e o Centro Cultural São Paulo, em parceria com a Vai e Vem Produções Culturais e com o apoio da Embaixada da França, Cinemateca da Embaixada da França no Brasil, Institut Français e Centre Nacional de Documentation Pédagogique (CNDP), apresentam a mostra "Rohmer, o homem e suas imagens", de 11 a 23 de junho de 2013, no Centro Cultural São Paulo.

A mostra traz parte representativa da obra documental que Eric Rohmer dirigiu para a TV francesa nos anos 1960 e mais três filmes do diretor que tiveram pouca ou nenhuma circulação no Brasil: Os Amores de Astrée e Céladon (2007), Perceval, o gaulês (1978) e O Agente triplo (2004).

Além dos raros documentários para TV, a mostra "Rohmer, o homem e suas imagens" exibe ainda Os Amores de Perceval, o gaulês (1978), O Agente triplo (2004) e Astrée e Céladon (2007). Os dois últimos são também os últimos longas-metragens dirigidos por Rohmer e não tiveram lançamento comercial no Brasil.

Já Perceval, o gaulês também foi pouco visto por aqui e dialoga de forma interessante com o documentário para TV Perceval ou o Conto do Graal, realizado em 1965. Foi o documentário que inspirou Rohmer a dirigir, mais de uma década mais tarde, um longa sobre o personagem Perceval, cavaleiro da távola redonda.

Apesar de ter iniciado sua carreira como diretor na mesma época que François Truffaut, Jean-Luc Godard e outros expoentes da Nouvelle Vague, Eric Rohmer só se tornou conhecido como realizador cerca de uma década depois da eclosão do movimento, quando seu quarto longa-metragem, Minha Noite com Ela, de 1969, foi indicado à Palma de Ouro em Cannes e ao Oscar de melhor roteiro original.

Antes disso, ele já havia dirigido dois longas-metragens, O Signo do Leão e A Colecionadora, que inclusive ganhara o Prêmio Especial do Jri em Berlim, e alguns curtas. Porém, o que é pouco sabido é que uma série de documentários realizados por Rohmer para a TV francesa na década de 1960 teve papel decisivo na sua formação enquanto diretor.

Trata-se de uma série de documentários didáticos produzidos pelo Centro Nacional de Documentação Pedagógica (CNDP). Nesta série de filmes-ensaio, Rohmer reflete sobre a arte, sobre o belo, sobre a condição humana e, acima de tudo, sobre o papel das imagens. Para a mostra "Rohmer, o homem e suas imagens" foram selecionados oito desses documentários dirigidos por Rohmer entre os anos de 1964 e 1969.

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 0-2017 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top