Cinema
10/11/2014, 17:44

Quanta DGT recebe R$ 123,3 milhões do Fundo Setorial do Audiovisual

POR REDAÇÃO

A Ancine e o BNDES financiarão, com recursos do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), a maior iniciativa já realizada para a digitalização do parque exibidor brasileiro. O BNDES aprovou um financiamento de R$ 123,3 milhões à empresa Quanta DGT, que possibilitará a migração de 770 salas de cinema de empresas exibidoras brasileiras para o padrão digital. Os exibidores beneficiados pela operação administram cerca de 1,1 mil salas em todo o País.

A operação será realizada por meio da Linha de Digitalização do Programa Cinema Perto de Você, um dos eixos do Programa Brasil de Todas as Telas. 

As condições financeiras da operação de crédito variam de acordo com o porte de cada grupo exibidor. Para grupos com mais de dez salas, é aplicada uma taxa de juros de 3% ao ano. Grupos com menos de 10 salas podem tomar crédito sem juros. O programa disponibiliza ainda um apoio não reembolsável aos grupos menores, com até quatro salas de cinema. Nesta operação, R$ 2,7 milhões serão destinados a estes pequenos exibidores.

A linha de crédito é destinada a empresas capacitadas a atuar como coordenadoras do processo de digitalização, papel desempenhado pela Quanta DGT nesta operação. A Quanta tomará o crédito com o banco e assumirá a função de atuar em todas as pontas do negócio: pactuar o VPF (Virtual Print Fee) com os distribuidores; contratar com os exibidores a locação dos equipamentos; adquirir os equipamentos; manter centro de operações para o controle do funcionamento dos projetores; receber o pagamento dos exibidores relativos ao aluguel dos equipamentos e o pagamento de VPF dos distribuidores para amortizar este financiamento; e repassar à Ancine informações sobre a operação das salas.

Com a digitalização, espera-se, além da redução dos custos operacionais, a ampliação do modelo de negócios,  gerando receitas adicionais para estes exibidores. Os pequenos exibidores terão maior facilidade de acesso aos títulos na época do lançamento e a possibilidade de multiprogramação, aumentando potencialmente a taxa de ocupação das salas.

Até outubro deste ano, o parque exibidor brasileiro apresentava um total de 2,8 mil salas de cinema, com cerca de 60% já digitalizadas. Graças a esta operação, o processo deve ganhar forte impulso, e a Ancine estima que a digitalização de todo o parque exibidor esteja concluída em 2015.

Para ajudar a alcançar este objetivo, a ANCINE direcionou a edição deste ano do Prêmio Adicional de Renda (PAR) totalmente à modalidade PAR-Exibição. Com R$ 3 milhões em recursos, o prêmio é destinado às empresas exibidoras com complexos de exibição de até duas salas, que tenham cumprido a cota de tela no ano de 2013. A premiação deverá ser utilizada pelos contemplados exclusivamente em projetos de digitalização.

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 0-2017 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top