Leis de incentivo
13/04/2006, 14:20

Relatório da Ancine ilustra a distribuição de recursos

POR REDAÇÃO

Está disponível no site da Ancine os relatórios de projetos ativos na agência com autorização para captação de recursos incentivados referentes aos anos de 2003, 2004 e 2005. Os relatórios analisam apenas os projetos de produção. Em relação ao ano de 2005, foram analisados 689 projetos, que tiveram aprovação entre 1995 e 2005, e que, em 31 de dezembro de 2005, encontravam-se na fase de captação, preparação, filmagem, finalização e já finalizados. Destes, 58,8% estavam ainda na fase de captação de recursos, tendo captado apenas 1,9% dos valores autorizados. 16 % dos projetos já estavam finalizados, mas haviam, captado apenas 64,7% dos valores autorizados.
Entre os projetos em fase de captação (297), a grande maioria é formada por longas-metragens (236), que são também os projetos mais caros ? 79.5% dos projetos são longas, representando 91,5% dos valores autorizados para captação.
Em todas fases, chama atenção o grande número de projetos de ficção. São 178 projetos de ficção, 113 documentários e apenas quatro animações. Há ainda uma predominância dos projetos de ficção em relação dos valores captados: 85,3%.
O relatório destaca ainda o número de projetos que, até o final do ano, não haviam captado recursos: 351. A hipótese considerada mais plausível pela Ancine no relatório é que não houve tempo hábil para a captação, já 159 destes foram aprovados em 2005 e 115 em 2004. Os outros seriam ?projetos caducos? que não conseguiram atrair investidores.
O relatório mostra também foram finalizados 93 filmes em 2005, dos quais 51 foram lançados e, entre os não lançados, 24 sequer contavam com uma distribuidora. É impossível deixar de comparar o valor médio de captado entre os lançados e os não lançados: os filmes já lançados captaram, em média, R$ 2,42 milhões; entre os não lançados, os que contam com distribuidora captaram em média R$ 1,34 milhão e os sem distribuidora captaram em média R$ 908,8 mil. O relatório deduz que há ?uma preferência por filmes com orçamento mais elevado?.
É interessante ver ainda o crescimento do número de projetos ativos por ano de aprovação. Em 1995 apenas um projeto foi aprovado, contra 205 em 2005. O projeto aprovado em 1995 consta ainda na Ancine como em preparação. Dos projetos aprovados entre 1995 e 2003 (290), 213 ainda não haviam sido finalizados até o final de 2005.
Os 689 projetos analisados foram apresentados por 410 produtoras distintas. os 297 projetos com valores captados foram apresentados por 218 produtoras distintas. 64,1% dos projetos foram apresentados por produtoras que contam com apenas um projeto ativo e 4,1% dos projetos foram apresentados por produtoras que contam com cinco ou mais projetos ativos. As dez produtoras que mais captaram concentram 31% dos recursos captados. A produtora que tem o maior número de projetos com captação é a Diler Associados, que, com 11 projetos, captou R$ 35,3 milhões.
Na divisão entre estados, como era de se esperar, os estados da região Sudeste concentram 85,9% dos projetos e 81,2% das empresas proponentes.

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 0-2017 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top