Política
16/04/2013, 21:26

Aprosom pede permanência de Manoel Rangel na Ancine

POR REDAÇÃO

A Aprosom, Associação Brasileira das Produtoras de Fonogramas Publicitários, divulgou carta aberta nesta terça, 16, pela permanência de Manoel Rangel na presidência da Ancine. Rangel já foi indicado para o terceiro mandato pela ministra da Cultura, Martha Supliciy, e sua indicação foi aceita pela presidente Dilma Rousseff.

Veja a carta da Aprosom:

A APROSOM, Associação Brasileira das Produtoras de Fonogramas Publicitários, é a entidade que reúne as principais produtoras de som da indústria audiovisual brasileira e vem dar seu depoimento em relação à gestão recente da ANCINE, defendendo a permanência do Sr. Manoel Rangel em seu comando.Certa vez, perguntaram-me se o que fazemos, produção de áudio, deveria ser assunto do Ministério da Cultura ou do Ministério da Indústria e Comércio. Uma questão aparentemente ingênua, de alguém que não estava familiarizado com o nosso setor, mas que, confesso, provocou uma reflexão sobre o que representamos na cadeia produtiva do audiovisual.

Nosso sonho é que essa cadeia produtiva seja uma indústria autossustentável e competitiva. Isso não é a realidade presente, infelizmente. As empresas que representamos sobrevivem prioritariamente do faturamento obtido com a criação e produção de som para a publicidade. Por outro lado, elas são o celeiro e o abrigo dos profissionais que trabalharão em outros setores do audiovisual, como nos filmes de cinema e nos programas independentes de televisão. Por isso, representa um setor estratégico para toda a indústria audiovisual, e sem ele não haveria profissionais treinados e nutridos para produzir a Cultura. Por outro lado, sua sobrevivência e organização vêm encarando desafios crescentes que necessitam do apoio e atuação governamental, como a intensa competição de produtoras estrangeiras, por exemplo, que operam em condições tributárias e econômico-financeiras radicalmente diferentes das nossas. As produtoras brasileiras precisam de ajuda para se equilibrarem em tais condições. Precisam de fomento, precisam de visibilidade e precisam participar da política do setor.

O Sr. Manoel Rangel foi quem entendeu a importância destes fenômenos e desafios. A aproximação entre APROSOM e ANCINE foi fruto dessa sensibilidade.

Hoje temos o embrião de um entendimento e de um relacionamento que julgamos serem prioritários para o futuro do nosso setor. A criação e produção de áudio, como o nome sugere ser óbvio, é parte necessária para a produção do audiovisual e um setor de áudio fortalecido colabora na formação de uma indústria audiovisual forte e independente. Acreditamos tratar-se de um caminho longo e penoso que, sem o auxílio da ANCINE e do presidente Manoel Rangel, seria inviável. Sua substituição no comando da agência traria um enorme retrocesso nesse processo, e colocaria nossos pleitos praticamente na estaca zero.

Em vista disto tudo, gostaríamos de reiterar nosso clamor pela manutenção de Manoel Rangel no cargo de presidente da ANCINE. É preciso que valorizemos a continuidade dos processos de entendimento entre as agências governamentais e os setores produtivos da Cultura. Manoel Rangel representa grandemente essa continuidade.

Kito Siqueira
Presidente da Associação Brasileira das Produtoras de Fonogramas Publicitários

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 0-2017 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top