Produtoras
17/11/2017, 02:42

Produtoras devem evitar entrar na guerra de preços para não virar "entregadora de commodities"

Nelson Enohata, que há 17 anos criou a Oficina Produções, deu entrevista ao canal Imprensa Mahon dando dicas para as novas produtoras que estão entrando no mercado. Para Nelson é importante que os sócios das produtoras façam uma análise interna para entender quais são os propósitos da produtora, qual o norte a ser seguido.

A Oficina contratou uma consultoria, e depois de muitas dinâmicas perceberam que seu propósito é: "'Fazer comunicação para despertar consciências e construir um mundo melhor'. Bonito, né? Mas poderia ser outro, como 'desenvolver videogames pra divertir a garotada', mas a gente encontrou esse. Isso dá um norte para a produtora como um todo, traz propriedade, traz um propósito, e a gente passa a ser visto por esse filtro, por esse olhar. Nossos projetos são todos calcados nisso. E não fazemos por ser bonito fazer. Analisando os trabalhos que fizemos nos últimos anos, fomos identificando isso. O que nos move, o que está intrínseco na vontade de quem trabalha nessa produtora, como valor mesmo, como uma missão, como um propósito. Isso vai fortalecer a empresa, senão ela é só uma entregadora de commodities, só uma entregadora de audiovisual. Ela perde identidade, vira mais uma que vai ser só comparada no preço. A qualidade cai, tudo cai", afirma Enohata.

Na entrevista a Krishna Mahon, Nelson também diz o que as produtoras devem evitar fazer: "Produtora está sempre em concorrência. Não entre em uma concorrência pensando: 'Vou entrar ganhando super pouco, vou ter um pouco de preju porque lá na frente eu recupero'. Isso existe muito, principalmente quando o cara está entrando e precisa ganhar experiência. Hoje pode ser uma estratégia se você tem vários outros grandes concorrendo, mas se você está começando, você vai ferrar seu fluxo de caixa. Você tem que fechar conta. E mais, na hora que faz isso você não prejudica só a si, mas todo o meio de produtoras, porque você está colocando o valor lá embaixo, valor que não é sustentável para ninguém. A conta não fecha para ninguém e começa a criar um standard errado no mercado. É uma cagada a ser evitada. A gente já fez isso, já entramos em algumas concorrências assim e achamos que íamos agradar, que no segundo ano já estaríamos lá, confortáveis. E num segundo ano a empresa coloca lá a concorrência de novo. A gente faliu, não. A gente já não participa mais dessa forma. Não é 'fair', é canibalismo demais", orienta Enohata.

Enohata

Formado em Publicidade pela ESPM, trabalhou na MTV Brasil de 1990 a 1998. Atualmente, com mais de 25 anos de experiência na área, é diretor de criação e sócio da Oficina Produções, onde faz a produção executiva e a supervisão criativa de cerca de 16 produções mensais para vários programas de televisão e documentários relacionados à arte, sociedade e cultura.

A Oficina Produções foi criada no começo dos anos 2000 pelos sócios Nelson Enohata e Cassiano Zuppo, A produtora faz produção de conteúdo audiovisual de entretenimento e publicitário para agências e corporações de diferentes segmentos de todo o Brasil, sendo uma das empresas pioneiras em branded content do País. Veja seu portfólio aqui.

Veja a entrevista:

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 0-2017 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top