Festivais
18/03/2004, 18:04

É Tudo Verdade anuncia sua programação

POR REDAÇÃO

O É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários realiza sua nona edição no Rio de Janeiro (de 25 de março e 4 de abril), em São Paulo (de 26 de março e 4 de abril) e, pela primeira vez, em Brasília (de 6 e 11 de abril). O festival anunciou nesta quinta, 18, sua programação, composta de 75 títulos, representando 16 países. A programação conta com uma competição de longas e médias-metragens nacionais inéditos e outra exclusiva para curtas brasileiros, além de retrospectivas (brasileira e internacional), programas especiais e a mostra O Estado das Coisas, que aponta tendências do gênero documental. Outra novidade do evento em 2004 é a criação da seção Foco Latino-Americano, dedicada a produções de destaque realizadas recentemente na região.
O festival acontece no Rio de Janeiro no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB); em São Paulo no CineSesc, Museu da Imagem e do Som, CCBB, Centro Cultural São Paulo, Itaú Cultural, Cinusp e Sesc Vila Mariana; e em Brasília, no CCBB.
Paralelamente ao evento, acontece a IV Conferência Internacional do Documentário – O Documentário Hoje, com debates e exibições em São Paulo. Os temas das mesas e os debatedores são:
* ?A Conquista do Público?, com Brian Winston, Carlos Augusto Calil e Jane Balfour;
* ?Michael Moore e Nós?, com Toby Miller, Ana Amado e Walnice Nogueira Galvão;
* ?O Diálogo Documentário e Ficção?, com Esther Hamburger, Paulo Sacramento e Eduardo Escorel;
* ?O Caso ?Ser e Ter??, com Anna Glogowsky, Henri-Pierre Arraes Gervaiseau e Michel Marie; e
* ?Um Outro Cinema?, com Jean Claude Bernardet, Luís Lupone e Russell Porter.

O festival contará ainda com outras atividades paralelas no novo Espaço É Tudo Verdade, um ponto de encontro dos convidados e equipe do festival com o público, os profissionais e a imprensa de São Paulo. Localizado na Galeria Ouro Fino (na Rua Augusta), o espaço prevê, entre outras atrações, o lançamento dos livros ?Cara, Cadê Meu País??, de Michael Moore (Editora Francis), ?O Documentário de Eduardo Coutinho: Televisão, Cinema e Vídeo?, de Consuelo Lins (Jorge Zahar Editor), e ?Eduardo Coutinho: O Homem Que Caiu na Real?, de Carlos Alberto de Mattos (edição: Festival de Cinema Luso-Brasileiro de Santa Maria da Feira). Ainda, uma videoteca (instalada no Itaú Cultural) dispõe de cópias VHS de parte dos filmes selecionados e inscritos nesta edição do festival. Para assistí-los, basta agendar com antecedência mínima de 24 horas, com os monitores no local.

Programação

Dois títulos serão exibidos nas sessões de abertura do festival. Para a abertura carioca, o escolhido foi o longa-metragem inédito ?A Pessoa é Para o Que Nasce?, do carioca Roberto Berliner. Em São Paulo, a atração é o israelense ?Checkpoint ? Posto de Controle?, de Yoav Shamir, vencedor da edição 2003 do festival de documentários IDFA, realizado em Amsterdã, Holanda.
Foram selecionados oito documentários nacionais para a Competição Brasileira de Longas e Médias-Metragens, todos inéditos: ?A Alma do Osso?, de Cao Guimarães; ?Do Outro Lado do Rio?, de Lucas Bambozzi; ?Evandro Teixeira: Instantâneos da Realidade?, de Paulo Fontenelle; ?Família Alcântara?, de Daniel Solá Santiago e Lilian Solá Santiago; ?O Galante Rei da Boca?, de Alessandro Gamo e Luis Rocha Melo; ?Mensageiras da Luz – Parteiras da Amazônia?, de Evaldo Mocarzel; ?Preto e Branco?, de Carlos Nader; ?Tempo de Resistência?, de André Ristum.
A Competição Brasileira de Curtas-Metragens reúne oito produções: ?Abry?,de Joel Pizzini e Paloma Rocha; ?Um Caffé com o Miécio?, de Carlos Adriano; ?Carolina?, de Jeferson De; ?Eu Vi o Mundo … Ele Começava no Recife?, de Mário Carneiro; ?Lambe Sujo?, de Gabriela Greeb, Paulo Dias e Marianna Monteiro; ?Livro para Manuelzão?, de Angelica del Nery; ?O Sumiço do Amigo Invisível?, de Paola Barreto Leblanc; ?Porão?, de Fernando Mozart.
A Competição Internacional exibe: ?As Pessoas de Ankor?, de Rithy Pahn (França); ?Diga a Meus Amigos que Estou Morto?; de Nino Kirtadze (EUA); ?Fim de Jogo – Kasparov e a Máquina?, de Vikram Jayant (Canadá); ?Jardim?, de Adi Barash e Ruthie Shatz (Israel); ?Eisenstein e Meyerhold, Um Retrato Duplicado no Interior da Época?, de Galina Evtushenko (Rússia); ?Pequenas Vozes?, de Eduardo Carrillo (Colômbia/Inglaterra); ?Raymundo?, de Ernesto Ardito e Virna Molina (Argentina); ?Story?, de Dana Ranga (Alemanha/Romênia); ?The Weather Underground?, de Sam Green e Bill Siegel (EUA); ?Tintin e Eu?, de Anders Hogsbro Ostergaard (Dinamarca); ?Um Instante na Vida Alheia?, de José Luis López-Linares (Espanha); ?Violência Doméstica 2?, de Frederick Wiseman (EUA).
Dedicada a produções que apontem tendências do documentário contemporâneo, a mostra não competitiva O Estado das Coisas reúne nove obras brasileiras e três internacionais: ?A Rede?, de Lutz Dammbeck (Alemanha); ?Como Arnold Conquistou o Oeste?, de Alex Cooke (Inglaterra); ?Crítica em Movimento?, de Kiko Mollica (Brasil); ?Descobrir?, de Ricardo Miranda (Brasil); ?Entre sem Bater – As Duas Vidas de Aparício Torelly, Barão de Itararé?, de Emilio Gallo (Brasil); ?O Ateliê de Luzia – Arte Rupestre no Brasil?, de Marcos Jorge (Brasil); ?O Rito de Ismael Ivo?, de Ari Cândido Fernandes (Brasil); ?Os Arturos?, de Thereza Jessouroun (Brasil); ?Os Esquadrões da Morte – A Escola Francesa?, de Marie-Monique Robin (França); ?Obras da Cidade?, de Sérgio A. de Andrade e Isabel Maria Hahn (Brasil); ?Serra?, de Flavio Frederico (Brasil); ?Vida de Artista?, de João Batista de Andrade (Brasil).
Em sessões especiais são apresentados os sete episódios da série ?The Americans?, além de outros seis documentários: ?A Companhia?, de Jennifer Abbot e Mark Achbar (Canadá); ?A Paixão de Martins?, de Irene Langemann (Alemanha); ?Morte Densa?, de Jurandir Müller & Kiko Goifman (Brasil); ?Neverland: Ascensão e Queda do Exército de Liberação Symbionese?, de Robert Stone (EUA); ?Os Novos Americanos?, de S. James, J. Blumenthal, G. Quinn, S. Aikin, C. Aparício, R. Tajima-Pena, I. Krishnan (EUA); ?Tocando o Vazio?, de Kevin Macdonald (Inglaterra); ?Todas as Garotas que Já Amei?, de Henrique Goldman (Inglaterra);.
A Retrospectiva Internacional apresenta alguns dos trabalhos do mestre francês Jean Rouch, recentemente falecido. Além do clássico do cinèma vèritè ?Crônica de Um Verão? (1959, co-dirigido com Edgar Morin), são projetados ?A Pirâmide Humana? (1961), ?Eu, Um Negro? (1959), ?Jaguar? (1967) e ?Pouco a Pouco? (1970).
A Retrospectiva Brasileira traz os dez mais significativos documentários que abordam a música brasileira, escolhidos a partir de uma eleição promovida pelo festival junto a cineastas, críticos e pesquisadores. Foram eleitos os seguintes filmes: ?A Voz e o Vazio: a Vez de Vassourinha?, de dir Carlos Adriano; ?Bethania Bem de Perto – A Propósito de um Show?, de Eduardo Escorel e Júlio Bressane; ?Carmen Miranda, Banana is My Business?, de Helena Solberg; ?Nelson Cavaquinho?, de Leon Hirszman; ?Nelson Freire?, de João Moreira Salles; ?Nelson Sargento?, de Estevão Ciavatta Pantoja; ?Os Doces Bárbaros?, de Jom Tob Azulay; ?Paulinho da Viola – Meu Tempo é Hoje?, de Izabel Jaguaribe; ?Samba Riachão?, de Jorge Alfredo; ?Tim Maia?, de Flávio Tambellini.
A nova seção Foco Latino-Americano traz produções da Argentina, Chile, Colômbia, México e Porto rico, além de uma co-produção Peru/Canadá: ?A Canção do Pulque?, de Everardo González (México); ?A Tribo das Palavras?, de Rodrigo Ivan Sepulveda (Chile); ?Bazooka: As Batalhas de Wilfredo Gómez?, de Mario Diaz (Porto Rico); ?O Mal-Estar Supremo: Retrato Incessante de Fernando Vallejo?, de Luis Ospina (Colômbia); ?Olhos que se Vêem: O Cinema de Lombardi?, de José Ridoutt Polar (Peru/Canadá); ?Trelew?, de Mariana Arruti (Argentina).
Demais informações sobre o evento podem ser acessadas no website www.etudoverdade.com.br.

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 0-2017 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top