Tecnologia
28/06/2004, 18:03

DCI propõe padrão para distribuição de cinema digital

POR REDAÇÃO

Segundo o noticiário norte-americano Hollywood Repórter, a DCI (Digital Cinema Initiatives), grupo formado pelos sete maiores estúdios de Hollywood para estabelecer regras para a distribuição e exibição de digital de cinema, escolheu o padrão de compressão JPEG 2000. Além disso, o grupo já estaria mantendo conversas com a SMPTE (Society of Motion Picture and Television Engineers) para que a sociedade dos engenheiros ratificasse a decisão dos estúdios.
O grupo de estúdios deve anunciar ainda um sistema de encriptação proprietário, que será usado em suas produções para coibir a pirataria de conteúdo.
A questão do padrão a ser usado na distribuição e exibição de cinema digital vem causando discussões acaloradas nos últimos anos. Distribuidores e produtores acusam os estúdios de forçarem o uso de padrões que exigem equipamentos caros, coibindo assim o barateamento da distribuição cinematográfica, o que privilegiaria os independentes. Além do padrão de compressão, que exige o uso de servidores mais caros do que os necessários em outros padrões, o grupo exige também o uso de projetores DLP Cinema, também mais caros do que os baseados em tecnologias concorrentes.
Resta saber o que acontecerá com o ainda modesto mercado de exibição digital já estabelecido, caso se confirme o desejo da DCI. Muitas salas já se equiparam com sistemas que vão contra as especificações propostas pelo grupo, e, caso a decisão se mantenha, terão de se adaptar para poder receber conteúdo dos grandes estúdios. Nos Estados Unidos, a rede de salas de cinema Landmark, por exemplo, investiu na digitalização de 200 salas, usando tecnologia baseada na plataforma Microsoft.Net.
No Brasil, duas empresas já investiram na tecnologia de produção digital. A Rain Networks, empresa ligada ao Grupo Mega, desenvolveu o sistema de gerenciamento de salas Kinocast e já investiu na exportação desta tecnologia, tendo fornecido o sistema para rede Landmark nos EUA.
Já a TeleImage, com o Casablanca Digital System, investiu na conversão de seis salas no Brasil para a projeção digital. O sistema usado pela TeleImage é baseado em servidores EVS, usando compactação MEPG 2 HD, e projetores com tecnologia DLP-Cinema. ?Para nós a escolha da DCI foi perfeita. Só precisamos instalar um plug-in para que nossos servidores passem a trabalhar com o JPEG 2000?, conta o CEO da empresa Patrick Siaretta.

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 0-2017 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top