OUTROS DESTAQUES
Tributação
Para DirecTV, impostos menores são questão de sobrevivência
quarta-feira, 01 de outubro de 2003 , 19h55 | POR REDAÇÃO

A DirecTV está concentrada em dois aspectos centrais para a sua sobrevivência (e da indústria como um todo): renegociação dos contratos de programação e redução da carga tributária. Em entrevista exclusiva à revista PAY-TV que circula a partir da próxima semana, durante a Feira e Congresso ABTA 2003, Luiz Eduardo Baptista, o Bap, gerente geral da operadora no Brasil, revela que a empresa tem dedicado todos os esforços possíveis à redução da carga tributária do setor, com especial atenção à tese de enquadramento do serviço no ISS. "A gente briga calado, tenta fazer um modo mais discreto, de gabinete em gabinete. Veja o que faz a indústria de eletrônicos nacional quando se tenta trazer um game boy chinês para o Brasil: todos os empresários vão até o jornal e gritam feito crianças. Estamos debaixo da água, nunca estivemos acima. Não estamos discutindo pra ganhar mais dinheiro. É só uma questão de sobrevivência", declara Bap na entrevista.
Coincidência ou não, a DirecTV esteve em peso nesta quarta, dia 1º, no Congresso Nacional. Luiz Eduardo Baptista, acompanhado de Milton Torres (vice-presidente para o Cone Sul da DirecTV Latin America) e Michael May (vice-presidente de relações governamentais) estiveram presentes à audiência da Comissão de Educação do Senado acompanhando a defesa da tese de enquadramento da TV paga no ISS. Depois da apresentação do diretor executivo da ABTA, Alexandre Annenberg, a DirecTV seguiu para outros compromissos na Capital Federal.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
Top