OUTROS DESTAQUES
DTH
Tecsat e Astralsat enfrentam problemas operacionais
terça-feira, 02 de maio de 2006 , 19h04 | POR SAMUEL POSSEBON

A Tecsat vem passando nas últimas semanas por uma transição delicada e cheia de problemas. A operadora mudou de satélite, do Intelsat 705 para o IA8. A razão da troca foi comercial: o Intelsat 705 estava comprometido para outro cliente e o IA8 oferece melhor cobertura e maior potência. Acontece que a mudança teve que ser feita às pressas, em função, segundo a Tecsat, de uma demora por parte da Anatel em autorizar o IA8 para o Brasil, o que só aconteceu em fevereiro (sendo que a mudança estava prevista para o final de março). Some-se a isso dificuldades logísticas e financeiras da Tecsat, e o resultado é que alguns dos clientes não puderam ser migrados a tempo, ficando sem sinal. Segundo Paulo Roberto Hisse de Castro, diretor da Tecsat, hoje mais de 70% da base já foi passada para o novo satélite. É uma operação delicada, que envolve reapontamento de antenas e troca de LNB (muito parecido com o que a DirecTV terá que fazer quando for migrar seus assinantes para a Sky). Isso precisa ser feito em todo o Brasil, com agendamento de horário de melhor conveniência para o assinante e para o instalador. "Com um mês cheio de feriados, a transição realmente ficou comprometida", diz o executivo, garantindo que até o final de maio tudo estará resolvido e que os clienetes que estão sem serviço serão, narturalmente, isentos de qualquer pagamento. A mudança também é gratuita, diz a Tecsat.
A operadora passa por problemas financeiros desde 2000, quando abriu concordata. Alega ter sido imensamente prejudicada com a perda de programação da HBO, que na ocasião celebrou acordo de exclusividade com a DirecTV. Hoje, a Tecsat tem pouco mais de 30 mil assinantes e sonha em voltar a ter os canais que perdeu. Mas, segundo Hisse de Castro, o fator que mais limita o crescimento da empresa é a falta de recursos para investimento. "Hoje temos uma operação equilibrada, mas para crescer é preciso investir, o que ainda é complicado". A empresa não tem prazo para levantar a concordata, mas estima que já tenha conseguido renegociar 90% de suas dívidas.

Cade

A Tecsat pode ser peça importante no processo de aprovação da fusão entre DirecTV e Sky, já que é a única empresa que está no mesmo segmento de mercado e será diretamente afetada pela operação. Paulo Roberto Hisse de Castro diz esperar que a fusão proporcione à Tecsat pelo menos a chance de competir nas mesmas condições, o que significa ter acesso à programação. A operadora é parte do processo de fusão, reclamando justamente acesso ao conteúdo exclusivo.
Vale lembrar que a Tecsat também tem uma representação contra a HBO junto à Secretaria de Direito Econômico (SDE). Todos os assuntos estão interrelacionados e, uma vez que a HBO não tem mais nenhum contrato de exclusividade, é apenas uma questão de negociação até que a operadora e a programadora se entendam, aposta a Tecsat.

Astralsat fora do ar

Há 15 dias outra operadora de DTH brasileira está fora do ar. A Astralsat, que comercializva alguns canais em banda C, está sem serviço, segundo fontes próximas, em função de um "processo de transição". A operadora não se pronunciou sobre o problema, mas fontes ouvidas por esse noticiários entendem que o principal entrave à operação foi o lançamento precipitado de um serviço com custos elevados sem garantias reais de viabilidade do projeto. A proposta da Astralsat, contudo, inovou ao pretender recuperar o contingente de telespectadores que recebem seus sinais pela banda C, estimado em 15 milhões de pessoas.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro do mercado de satélites brasileiro

31 de agosto a 1 de setembro
Royal Tulip Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Top