OUTROS DESTAQUES
Overbuilding custou US$ 1 bilhão às operadoras
segunda-feira, 04 de outubro de 1999 , 23h07 | POR REDAÇÃO

Em painel durante o congresso da ABTA, Steven Lewine, do banco Chase, mostrou que a previsão de demanda feita há alguns anos para o setor de TV paga estavam corretas, mas que houve obstáculos ao seu crescimento. Entre eles está a presença de uma TV aberta de boa qualidade e o overbuilding, que pelos seus cálculos custou ao mercado cerca de US$ 1 bilhão. Além disso, ao contrário do que acontece na telefonia, os grandes investidores dos EUA não entraram na TV paga no Brasil. Isto se deve, segundo ele, à incerteza regulatória, à concentração de renda e aos custos muito altos de programação, aos impostos (inclusive encargos trabalhistas) e ao risco Brasil. Ainda durante o painel, Lewine mostrou como funciona o modelo americano, no qual as empresas se agrupam e criam clusters de operações e começam a usar a convergência de serviços como fonte de receita. Segundo ele, o modelo é adequado ao Brasil, pois a clusterização aumenta a capacidade financeira e de negociação das MSOs. Além disso, a convergência abre um novo mercado para as operadoras, que passam a competir pelos assinantes das teles e dos provedores de Internet. Um exemplo deste novo modelo foi dado por Chris Torto, da Horizon, durante os debates. A nova MSO está montando seu cluster no interior de São Paulo com uma rede bidirecional de 870 MHz, pronta para oferecer serviços de valor adicionado.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro de lideranças do mercado de telecomunicações

19 de setembro a 20 de setembro
Royal Tulip Brasilia Alvorada, DF, Brasil
Top