OUTROS DESTAQUES
NCTA Cable 2006
"Switched video" e jogos: as próximas fronteiras
segunda-feira, 10 de abril de 2006 , 00h18 | POR SAMUEL POSSEBON, DE ATLANTA

Um tema novo apareceu este ano nos debates da NCTA Cable 2006: como as operadoras explorarão os potenciais do "switched video". Basicamente, o que está por trás da tecnologia é a possibilidade de dar ao assinante conteúdos personalizados e segmentados sem usar um canal inteiro da rede e podendo fazer isso de forma customizada. Também é a resposta à crescente demanda por publicidade customizada. A resposta é a transmissão dos conteúdos customizados por IP. Algumas operadoras começam a testar essa possibilidade de distribuição de sinais, que pode ser feita para o DVR para ser assistida em um momento de maior conveniência ou por streaming. Também parece ser a melhor resposta para o crescente movimento cultural dos blogs, videologs e conteúdos feitos pelos próprios assinantes (myspace.com, youtube.com etc). Programadores estão estudando essa possibilidade para poderem ter produto a oferecer para as empresas de telecomunicações, mas as coisas se casam, pois as empresas de cabo poderão precisar do conteúdo digitalizado da mesma forma que os portais de internet precisam. Deve ser o grande tema de 2007.
Outro tópico que já vem se mostrando cada vez mais promissor é do mercado de games, já bastante explorado pelas empresas de celular e banda larga. As operadoras de cabo nos EUA começam a ter experiências sérias com esse mercado, ainda que não haja números expressivos a serem mostrados nos EUA (na Inglaterra, é um mercado que gira quase 1 bilhão de libras). Nos debates realizados na NCTA Cable 2006, a principal constatação é que para que o mercado de games se desenvolva falta apenas uma camada de middleware dedicada a esse produto que seja comum às operadoras. Cada uma tem seu próprio padrão de caixa digital, com suas próprias especificações. A saída pode ser seguir o caminho das empresas de telefonia móvel, e colocar integradoras no meio do caminho. As integradoras seriam as empresas responsáveis por adaptar o conteúdo às plataformas.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro do mercado de satélites brasileiro

31 de agosto a 1 de setembro
Royal Tulip Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Top