Pesquisas
11/12/2014, 16:41

Share da televisão na receita publicitária global deve diminuir nos próximos anos

POR REDAÇÃO

Segundo estudos publicados pelas empresas Magma Global e ZenithOptimedia durante a Conferência Anual de Mídia e Comunicação da UBS, promovida nesta semana em Nova York, a receita global de publicidade deve continuar crescendo em 2014. Os estudos preveem uma diminuição no share da televisão, que perderia espaço para meios digitais e online.

Segundo a Global Magma, as receitas globais com publicidade apresentarão crescimento de 4,8% em 2015, chegando ao valor de US$ 536 bilhões. A previsão da Zenith é um pouco mais otimista, apontando crescimento de 4,9% para um total de US$ 545 bilhões. Os valores são inferiores aos 5,5% apresentados em 2014. Contudo, dizem os analistas, é preciso considerar que neste ano não haverá o reforço de eventos como a Copa do Mundo e a Olimpíada de Inverno, que historicamente impulsionam o crescimento.

O principal motor desse crescimento, segundo a Magma, é a publicidade digital, que apresentou crescimento de 17% e chegou a uma receita global de US$ 142 bilhões, impulsionada principalmente por campanhas em dispositivos móveis e redes sociais. Para 2015, a expectativa é que esse setor cresça mais 15%.

Segundo a Magma, os meios digitais terão 30% da receita com publicidade global já em 2015 e, nos Estados Unidos, caminham para ultrapassar a receita com publicidade em TV em 2017.

De acordo com os valores apresentados pela ZenithOptimedia, globalmente a TV ainda responde por 39,6% da receita publicitária. Contudo, a empresa diz acreditar que esse valor tenha atingido seu máximo, e deva cair para 37,4% até 2017.

No digital, as buscas pagas continuam concentrando quase metade da receita global. Em seguida, aparecem os formatos de display (21%), social (12%) e vídeo online (8%).

Outros meios

Enquanto TV e digital brigam pelo domínio das receitas publicitárias, outras mídias estão perdendo espaço. Segundo a Magma, as vendas de anúncio para jornais tiveram queda de 4,3% em 2015, enquanto as de revistas encolheram 7,3% e o rádio nãoapresentoumudanças significativas. A mídia out of home, no entanto, cresceu 3,4%.

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 0-2017 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top