OUTROS DESTAQUES
Hicks ainda não tem estratégia unificada para o Brasil
quarta-feira, 12 de maio de 1999 , 23h01 | POR REDAÇÃO

O grupo Hicks, Muse, Tate & Furst não parece ter desenhada uma estratégia única para o Brasil. É verdade que faria todo sentido a compra do Corinthians numa futura negociação por direitos esportivos para TV, sobretudo para TV paga onde a empresa é sócia da TV Cidade. Também faria sentido a proximidade do Hicks com a Traffic, empresa de marketing esportivo gestora da programação de esporte da TV Bandeirantes (sócia da TV Cidade). Segundo apurou PAY-TV Real Time News, contudo, são todos movimentos que vêm acontecendo independentemente, podendo um dia convergir. Segundo fontes ligadas ao Hicks, Muse e também de acordo com J. Hawilla, presidente da Traffic, que intermediou a compra do Corinthians pelo grupo texano, os negócios esportivos ainda não têm relação com o negócio em TV. Contudo, vale lembrar o exemplo da Argentina, onde a entrada do Hicks na Cablevision teve como desdobramento a compra da Torneos y Competencias, empresa que controla os principais direitos esportivos daquele país. Comenta-se também que no Brasil o Hicks seria sócio da Traffic, o que é desmentido por Hawilla. Por fim, no evento da ABTA de 1998, Julio Gutierrez, representando a BGS (empresa argentina que gerencia os negócios em TV paga do Hicks na América Latina), foi enfático ao dizer que sem direitos esportivos não se faz TV por assinatura.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
Top