Mercado
15/12/2003, 19:35

Reestruturação da Globopar é esperada para primeiro semestre de 2004

POR REDAÇÃO

Em apresentação realizada aos afiliados da TV Globo na semana passada, Roberto Irineu Marinho deu algumas informações novas em relação ao processo de reestruturação das dívidas da Globopar, que vem acontecendo desde outubro de 2002. Segundo ele, o processo de acerto com os bancos é esperado para acontecer em algum momento ainda no primeiro semestre de 2004. Roberto Irineu revelou que hoje cerca de 80% dos papéis de dívida da Globopar estão nas mãos de grupos financeiros importantes e interessados em resolver rapidamente o processo de acerto da dívida. Outros cerca de 20% estão na mão de credores de segunda mão, bancos e instituições que compram títulos de empresas em dificuldade. Roberto Irineu fez a sua apresentação às afiliadas antes da notícia veiculada no último final de semana pelo jornal Folha de S. Paulo de que pelo menos um detentor de papéis de dívida, um fundo de investimento chamado W.R. Huff, recorreu à Justiça de Nova York para que haja intervenção no processo de renegociação. Segundo a reportagem, o fundo tem cerca de 5% da dívida de US$ 1,9 bilhão e fazia parte do comitê de renegociação. Ainda segundo a Folha de S. Paulo, a Globo considerou equivocada a iniciativa do investidor e apontou erros na petição. Segundo Ronnie Vaz Moreira, presidente da Globopar, o pedido de intervenção do fundo Huff não terá efeitos práticos, diz a reportagem.

Nova estrutura

Na apresentação aos afiliados, Roberto Irineu Marinho apresentou o que poderá ser a nova estrutura da companhia após a reestruturação. As empresas hoje controladas apenas pela família Marinho, incluindo a Globosat, a TV Globo e a Globo.com, ficariam sob uma mesma empresa, gerida por um conselho formado pelos irmãos e três diretorias, ocupadas por Jorge Nóbrega (voltada à área de planejamento), Ronnie Vaz Moreira (financeiro) e Evandro Guimarães (relações institucionais). A situação de Marluce Dias da Silva, expôs Roberto Irineu Marinho, ainda está sendo definida. Depende de uma série de exames de saúde que a executiva realiza este mês de dezembro.

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 0-2017 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top