OUTROS DESTAQUES
Balanços
Relatórios mostram como crise afetou ITSA e TVA em 2002
quarta-feira, 16 de julho de 2003 , 19h00 | POR SAMUEL POSSEBON

O meio do ano é, normalmento, o período em que as empresas com compromissos financeiros nos EUA precisam registrar na Security Exchange Comission (SEC) seus resultados financeiros. Nas últimas duas semanas, TVA e ITSA (TV Filme) registraram seus balanços de 2002. Os números não são totalmente novos, mas dão uma idéia de como 2002 foi o pior ano da história da TV paga no Brasil.
A TVA, que registrou seu balanço nos EUA na terça, 15, teve receita bruta em 2002 de US$ 89,7 milhões, contra US$ 107,9 milhões em 2001. As despesas operacionais em 2002 foram de US$ 107,3 milhões, contra US$ 134,4 milhões, e o prejuízo líquido da TVA no ano passado foi de US$ 71,4 milhões, contra US$ 75,8 milhões no ano anterior. Em relação à base de assinantes, como já era sabido, a TVA fechou 2002 com 300 mil clientes, contra 359 mil em 2001.
O relatório da TVA traz uma série de preocupações com relação ao desenrolar da economia no ano de 2003, sobretudo em relação a aspectos políticos que podem interferir nas variáveis econômicas. É natural que isso aconteça, já que se trata de um documento destinado a investidores estrangeiros e onde todos os riscos têm que estar claros. Diz a auditoria da TVA, a Deloitte Touche Tohmatsu: "the Company's recurring losses from operations, working capital deficiency and shareholders' deficit raise substantial doubt about its ability to continue as a going concern". Ou seja, os auditores, que em 2002 foram muito mais rigorosos depois dos escândalos contábeis nos EUA, têm preocupações sérias sobre os rumos futuros da TVA dadas as deficiências de capital, seguidos prejuízos e condições financeiras dos acionistas. Para reverter esta situação, a TVA diz no balanço que está procedendo cortes de custos, securitização de recebíveis como fonte de financiamento e venda de ativos não-estratégicos. Tentamos contatar a diretoria da TVA até o fechamento da edição, sem sucesso.

TV Filme

O relatório de 2002 da TV Filme traz uma frase sobre o futuro da empresa com o mesmo teor e com a mesma visão preocupante mostrada pela TVA, mas trata-se de uma frase dita pela auditoria.
Os números da TV Filme, registrados na SEC há 10 dias, também mostram o que foi 2002: Receita bruta de US$ 15,69 milhões (contra US$ 21 milhões em 2001), custos operacionais de US$ 19,2 milhôes (contra US$ 31,37 milhões em 2001), prejuízo de US$ 55,3 milhões (contra US$ 20,3 milhões em 2001) e queda na base de 69,3 mil clientes em 2001 para 58,6 mil no final de 2002.
Procurada, a diretoria da TV Filme informou que os resultados de fato foram ruins mas que em 2003 já há movimento de estabilização da base.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
Top