Programação
18/01/2017, 14:30

Futura reforça produção independente e presença digital

O Futura passa por um reposicionamento, e quer reforçar suas parcerias com a produção independente de conteúdos e fortalecer sua presença no meio digital, com seu novo player de VOD.

O canal passou por mudanças importantes no final do ano passado, com a saída da diretora geral Lúcia Araújo e a perda das concessões de radiodifusão educativa. A Fundação Roberto Marinho, que gere o canal, foi credenciada como programadora e o Futura é tratado hoje como um canal de TV por assinatura (SeAC) comum. Segundo o novo diretor geral, João Alegria (foto), esta configuração não afeta em nada a vocação educativa e cultural do canal, que continuará a ser distribuído gratuitamente às operadoras de TV, além da distribuição via satélite (banda C) e na Internet.

O diretor conta que quer reforçar a aliança do canal com a produção independente. No último Telas Fórum, por exemplo (promovido por TELA VIVA em novembro último), o canal recebeu mais de cem propostas de projetos em sua rodada de negócios. Destas, selecionou onze, das quais duas já estão sendo produzidas com recursos próprios do canal, conta Alegria.

"Foi muito positivo ver que as propostas vieram de fora dos lugares tradicionais. recebemos coisas do interior, do Nordeste… É muito importante renovar esse diálogo, as conversas foram muito interessantes", disse a este noticiário.

As duas produções em contratação pelo Futura são "Em um Mundo Interior", da Kinoscópio, e "Krenak, Vivos na Natureza Morta", da Criola Filmes. O primeiro aborda o autismo, e o segundo fala da tragédia ambiental de Mariana sob a perspectiva das tradições indígenas sobre a vida no rio.

Para as outras nove selecionadas, o canal ajudará nas estratégias de viabilização. Alegria destaca algumas, que chamaram a atenção pela temática e por sua oriem.

"Veleiro Eco", da Arrebol Produções, de Santa catarina, é uma parceria com a UFSC e documenta uma expedição científica da universidade pela costa brasileira. Do Paraná foi selecionado o projeto "Do Meu Jeito", da Artenove, sobre empreendedorismo juvenil.

Outro destaque é "Rock'n'rede", da paulistana Conteúdos Diversos, sobre direitos e cultuta digital. Também de São Paulo, o canal selecionou "Pedal Brasil", da Grifa, que mostra as expedições de dois ciclistas, um mais velho, em torno de 70 anos, e outra mais jovem. Já da Iracema Rosa Filmes o destaque é "Recontando a História", que levanta questões pelo ponto de vista dos negros.

Do Rio de Janeiro, "Shake", da Manjubinha Filmes, usa trechos de Shakespeare, em montagens de rua, para abordar temas da atualidade. E da baiana Tem Dendê o canal selecionou "Baião", série documental sobre as festas juninas do Nordeste.

"Temos percebido que os projetos estão chegando mais adequados ao canal, as pessoas entendem nossa proposta. Antigamente recebíamos propostas muito distantes do foco do canal, mas agora estão muito ajustadas", diz Alegria. "No nosso pitching do meio do ano passado recebemos tantos projetos bons que ao invés de produzir apenas um acabamos fazendo três", conclui o diretor.

Difusão

João Alegria diz que a perda das concessões de TV aberta não devem afetar muito a audiência do canal. "A maior parte do nosso público, que é de educadores e jovens, está na TV paga ou no digital. E temos ainda as parabólicas. Então não muda muito, já não pegava esse público. O que faz muito sentido é reforçar a presença nesses ambientes, que é o que faremos com o Futura Play", conta.

O canal está presente há muito tempo com seus conteúdos no YouTube, que já foi, diz Alegria, o principal aglutinador de conteúdos on-demand do Futura. "Estamos revendo a organização dos canais, mas vamos continuar lá", conta. O Futura Play não tirará conteúdos do YouTube, mas sim complementará. O canal optou por não fazer um app, mas sim oferecer a plataforma na web, para ser vista em qualquer dispositivo com acesso à Internet.

A plataforma foi lançada em outubro no modelo "soft launch", sem alarde, para testes, com cerca de 900 conteúdos, além do simulcast da programação ao vivo. A biblioteca é atualizada diariamente.

A divulgação efetiva começa agora em janeiro, e o canal pensa em oferecer também a opção de download. O site do Futura já oferece download de alguns pacotes de conteúdos, para uso nas escolas, por exemplo, mas a ideia é que no Futura Play possa-se baixar qualquer programa.

Foto: Marcelo Kahn

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 0-2017 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top