Mídia
19/06/2002, 19:59

Globo S.A. é a nova holding do grupo Globo

POR RUBENS GLASBERG E SAMUEL POSSEBON

O grupo Globo anunciou nesta quarta, dia 19, o primeiro passo de um processo de reestruturação que visa aproveitar as possibilidades abertas pela nova redação do artigo 222 da Constituição. Foi criada a Globo S.A., uma holding que englobará todos os ativos em mídia do grupo. Essa empresa abrigará TV Globo, Globosat, Globo.com, Som Livre, Sistema Globo de Rádio, Editora Globo, os jornais do grupo e as gráficas. Também serão administradas pela Globo S.A. as participações do grupo nas empresas Net Serviços de Comunicação (ex-Globo Cabo) e NetSat (Sky). "Esta mudança é um passo importante para que possamos realmente constituir um conglomerado de mídia competitivo, que possa buscar novos investidores e parceiros", declarou a este noticiário Roberto Irineu Marinho, presidente do conselho de administração da Globo S.A., a mais alta esfera de gestão do grupo.

IPO em 2003

A Globo S.A. dificilmente terá outros acionistas estratégicos, nacionais ou internacionais, diz Roberto Irineu. "Neste nível, buscaremos sócios financeiros e, principalmente, pulverização de capital. Mas não estaremos prontos para fazer uma oferta pública de ações em menos de seis meses. É coisa para 2003". Roberto Irineu ressalta que sócios estratégicos poderão sim ser buscados nas unidades abaixo da Globo S.A.
O poderoso conselho de administração da holding, do qual Roberto Irineu Marinho será presidente, contará ainda com a presença dos irmãos João Roberto Marinho e José Roberto Marinho, de Philippe Reichstul (que ocupará também a presidência da Globo S.A.) e dos diretores gerais das unidades de negócios Marluce Dias da Silva (televisão e entretenimento) e Luiz Eduardo Vasconcelos (mídia impressa e rádio). Participam do conselho ainda Ronnie Moreira (diretor financeiro da Globo S.A.) e Jorge Nóbrega (diretor de estratégia corporativa da Globo S.A.).

Independência

As unidades de negócio comandadas por Marluce Dias (TV e entretenimento) e Luiz Eduardo Vasconcelos (mídia impressa e rádios) seguem autônomas do ponto de vista operacional, dentro da estratégia definida pelo conselho de administração. A Globo S.A. atuará na coordenação estratégica, acompanhamento do desempenho das empresas, gestão financeira e controle orçamentário, de acordo com as determinações do conselho de administração.
A Globo S.A. tem como embrião a atual Globopar. Existirão, contudo, algumas diferenças contábeis. Por exemplo, no que diz respeito ao endividamento. A Globopar não trará mais em seus resultados consolidados o endividamento das operações de TV paga, pois devido ao processo de capitalização a Globo não terá mais o controle absoluto da Net. Com isso, o endividamento consolidado da Globopar fica na casa dos US$ 1,1 bilhão. Outros US$ 400 milhões estão em forma de avais, principalmente para NetSat e Net. O endividamento das operações de TV paga referentes às participações do grupo Globo, mas que não estarão consolidados nos relatórios da Globopar, são da ordem de US$ 500 milhões.

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 0-2017 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top