Incentivo cultural
21/05/2004, 18:31

Investimento no audiovisual via Lei Rouanet caiu em 2003

POR REDAÇÃO

A Ancine divulgou nesta sexta, 21, dados sobre a captação de recursos para a área audiovisual pela Lei Rouanet. Segundo relatório da Ancine, o volume de recursos captados em projetos acompanhados pela agência foi crescente em 2001 e 2002, mas caiu em 2003. Os projetos acompanhados pela agência são os de longa-metragem, telefilmes, mini-séries, festivais internacionais, projetos de exibição e distribuição, além de projetos de curta e média-metragem que buscaram aprovação em outro mecanismo de incentivo em conjunto com a Lei Rouanet. São os projetos que em 2003 ainda eram aprovados pela Ancine.
A informação não contradiz as declarações feitas pelo secretário de fomento à cultura do MinC, Sérgio Xavier, aos deputados da Comissão de Educação e Cultura da Câmara em audiência na quinta-feira, 20. Xavier havia anunciado um valor recorde de incentivos através da Lei Rouanet em 2003, mas referindo-se ao total incentivado pelo mecanismo, e não apenas aos projetos relacionados à produção audiovisual.
Segundo a Ancine, foram investidos em 2000 no audiovisual através da Lei Rouanet R$ 12.678.823,41; R$ 26.207.241,52 em 2001; R$ 23.949.025,48 em 2002; e R$ 18.178.662,24 em 2003.

Investidores

Ainda segundo a Ancine, estes investimentos têm sido sustentados pelas empresas estatais, que mantiveram o nível de aportes, embora também em nível decrescente. As empresas privadas vêm deixando de utilizar a Lei Rouanet para seus investimentos na produção audiovisual. No ano 2000 as estatais eram responsáveis por 73,8% dos investimentos, passando para 87,1% em 2003. O valor investido pelas estatais, que chegou ao seu ápice em 2001, com um total de R$ 20.630.196,54, caiu para R$ 15.617.496,61 em 2003.
As empresas estatais que mais investiram no audiovisual através da Lei Rouanet em 2003 foram:

* Petrobrás – Petróleo Brasileiro S/A, investindo R$ 5.342.052,61;
* Petrobras Distribuidora S/A, com R$ 5.243.000,00;
* Eletrobrás – Centrais Elétricas Brasileiras S.A., com R$ 3.620.000,00;
* Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, com R$ 761.500,00;
* Furnas Centrais Elétricas S.A., com R$ 325.944,00;
* Cia Riograndense de Saneamento ? CORSAN, com R$ 120.000,00;
* CHESF – CIA Hidro Eleytrica do São Francisco, com R$ 100.000,00;
* Companhia de Saneamento de Minas Gerais- COPASA MG, com R$ 75.000,00;
* Banco do Estado do Rio Grande do Sul, com R$ 30.000,00.

Os maiores investidores privados em 2003, com aportes ao audiovisual através da Lei Rouanet, foram:

* Brasil Telecom S.A Matriz, com R$ 750.599,80;
* Transportes Aéreos Meridionais ltda, com R$ 480.000,00;
* Nissin Ajinomoto Alimentos Ltda, com R$ 150.000,00;
* Iharabras S/A Industrias Químicas, com R$ 120.000,00;
* Pan Eventos e Projetos Culturais Ltda., com R$ 100.000,00;
* Rio Tinto Brasil Mineração Ltda, com R$ 100.000,00;
* Telebrasília Celular S/A, com R$ 88.000,00;
* Petroquímica União S.A., com R$ 80.000,00;
* Cabot Brasil Ind. e Comércio Ltda, com R$ 80.000,00;
* Equifax do Brasil, com R$ 65.000,00.

Os números estarão disponíveis, a partir de terça-feira, dia 25, no site da Ancine (www.ancine.gov.br).

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 0-2017 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top