Mipcom
21/10/2005, 09:02

TV Record deve chegar a 50% de crescimento este ano

POR EDIANEZ PARENTE

A Record espera crescer 50% em seu faturamento neste ano em relação a 2004. A depender dos resultados deste último trimestre, a emissora chega aos R$ 750 milhões, aproximadamente. Isto é o que espera a direção da rede, que no ano passado faturou meio bilhão de reais. E para 2006, ano em que a Record planeja estrear uma série de novos produtos, entre os quais um terceiro horário de novelas, a projeção de alta se mantém. ?Nós não fechamos o planejamento ainda para o próximo ano, mas não devemos esperar nada abaixo dos 30% ou 35% acima de 2005?, afirmou Alexandre Raposo, presidente da Rede Record de TV.
Em entrevista a este noticiário durante o Mipcom, que acabou nesta sexta-feira, dia 21, Raposo ressaltou a importância de ter estado num evento junto ao Ministério da Cultura e dos demais produtores brasileiros. Também destacou o fato de a emissora estar se posicionando como exportadora, com um produto como novelas. O executivo descarta qualquer comparação com o SBT e não esconde a ambição da rede: ela mira a Globo, quer ser a primeira colocada em audiência e trabalha nesta direção. ?Nós não nos balizamos no SBT. Vamos atrás da Globo para chegar a ser líder?. Daí seus maiores investimentos se concentrarem no segmento em que a Globo sempre liderou. Suas produções de época tiveram um receptividade além da esperada na feira, com as produções "Escrava Isaura" (que tem quase o triplo de capítulos em relação à primeira versão feita pela Globo), já vendida também em outros eventos, e o folhetim mais recente ?Essas Mulheres?. Para Raposo, o mercado já acordou para a alta qualidade dos seus produtos. Segundo ele, desde que a emissora entrou na teledramaturgia, foram criados mil empregos na Record.
Além das novelas, o presidente da Record chama atenção para o bom desempenho em faturamento da rede em toda a diversidade da grade: os programas femininos e os esportes (futebol, vôlei, o programa de Milton Neves, "que vai muito bem em merchadising", segundo Raposo). Para o jornalismo, Raposo diz que, por não estar ainda fechado o orçamento do próximo ano, não está certo se a emissora vai entrar com noticiário na hora do almoço.

Internacionais

Na linha de variedades, o "Domingo Espetacular" segue com investimentos em programação. Para enriquecê-lo com documentários, foi fechado no Mipcom um contrato de fornecimento de programação com a Discovery, válido por um ano. Em filmes e séries, a Record tem contrato de cinco anos com a Universal Studios (filmes "Van Helsing", "Mais Velozes e Furiosos", e o vindouro "King Kong", só para citar alguns), e também com a MGM. Também da Universal, há os seriados "Monk" e "Lei e Ordem". Mas a emissora se coloca sempre atenta para a compra avulsa, como aconteceu recentemente com ?A Era do Gelo?, da Fox, que não foi adquirido pela Globo, que detém a prerrogativa da primeira opção.

Cidade cenográfica

Além de já ter comprado novos estúdios no Rio de Janeiro, a Record constrói em São Paulo uma cidade cenográfica. E para produção de mais uma nova novela, sobre texto do autor Lauro César Muniz. A Record alugou uma fazenda nos arredores de São Paulo, em Bragança Paulista, onde está sendo levantada a cidade fictícia. Nela, serão criados os cenários da passagem de algumas décadas a partir dos anos 60, incluidos na trama. Segundo Alexandre Raposo, a partir da estréia do terceiro horário das telenovelas, o que acontece em 2006, haverá um momento em que a emissora estará produzindo simultanemante seis novelas, entre as que estiverem no ar e as que irão estrear.

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 0-2017 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top