VOD
23/11/2017, 02:41

Vídeo Over-the-Top superará TV em horas de visualização em cinco anos

POR MARIANA TOLEDO
A terceira edição da pesquisa feita em parceria entre a Level 3 e as empresas Streaming Media e Unisphere Research, baseada nas respostas de cerca de 500 profissionais da indústria da mídia, foi apresentada para a imprensa. Entre os dados obtidos pelo estudo, o mais relevante aponta que, dentro dos próximos cinco anos, as horas de visualização de transmissão linear ao vivo de vídeo over-the-top (OTT) vão superar a aquelas de transmissão tradicional de TV – isso segundo 70% dos participantes.
A conclusão óbvia é que a indústria OTT está em grande expansão: mais de um quarto dos participantes esperam que o crescimento da receita anual com OTT de 2016 para 2017 seja de até 25%. Além disso, quase metade dos participantes antecipam o crescimento de algo em torno de 30 a 50%.
Eduardo Freitas, diretor de Conectividade, Mídia e IP da Century Link, conta que o estudo engloba empresas em quatro estágios da implementação de estratégias OTT: no primeiro grupo, estão aquelas que ainda não começaram o planejamento para oferecer o serviço; já no segundo, estão as companhias que começaram a traçar estratégias com OTT. O terceiro grupo oferece serviços OTT, mas ainda disponibiliza transmissões tradicionais (broadcasting) e, por fim, o grupo 4 é formado por empresas que só oferecem seus conteúdos através de OTT.
Realizando uma comparação entre 2016-2017, o estudo apontou que as empresas dos grupos 1 e 2 estão acelerando projetos com foco em OTT, enquanto as empresas do grupo 3 apresentam planos mais diversificados com foco no serviço do que as que já tinham realizado a migração completa. Isso evidencia uma tendência de mercado, que está cada vez mais apostando neste tipo de solução, migrando para OTT.
Segundo o estudo, os provedores de conteúdo acreditam que em quatro anos o uso de OTT vai aumentar muito, o que deve gerar nas empresas que ainda não oferecem o serviço uma aceleração nos planos de consolidar e trabalhar com a plataforma. "Isso vai gerar desafios como entender quais são os modelos e conteúdos mais adequados para diferentes canais, como vídeos on demand, vídeo online e online linear, de transmissão contínua. Outra forte tendência são as plataformas híbridas, onde os canais seguem a programação tradicional, mas também oferecem a opção de gravar os programas", acredita Freitas.
Qualidade da experiência
O diretor analisa ainda que a qualidade dos serviços oferecidos é um dos principais desafios enfrentados pelo mercado, uma vez que mais da metade dos participantes do estudo oferecem o serviço de OTT globalmente e precisam de um padrão de qualidade nessas transmissões. "Assim, avanços na estrutura de CDN são uma das principais demandas para a expansão da OTT, com quase 50% dos entrevistados empregando o serviço de rede global de entrega de conteúdo em suas transmissões", conclui.
Por fim, Eduardo comenta que o consumidor se tornou mais exigente em relação à qualidade dos serviços. E ele pondera: "As novas gerações, que nasceram durante o processo de transformação digital, estão acostumadas e buscam transmissões em OTT pela facilidade de assistir aos conteúdos a hora que quiserem. Por isso, eles são mais impacientes em relação a indisponibilidade e a baixa qualidade dos serviços, trocando facilmente de fornecedores". Segundo o estudo, isso também se refletiu em um aumento na exigência por qualidade da parte dos provedores.

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 0-2017 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top