Co-produção
26/05/2004, 19:11

Regra dos 3% traz bons resultados a produtores e canais

POR REDAÇÃO

Em debate sobre co-produção no V Fórum Brasil de Programação e Produção, Leonardo Monteiro de Barros, sócio-produtor da Conspiração, afirmou que as co-produções entre produtoras independentes e canais de TV por assinatura não começou no Brasil após a criação da regra dos 3%. "A legislação aumentou o volume de co-produções e obrigou os executivos dos canais a entender o trabalho e os custos do conteúdo que costumam comprar". A Conspiração tem em mãos uma das principais parcerias de co-produção com programadoras. Trata-se da série "Mandrake", em parceria com a HBO, que terá suas filmagens iniciadas em 5 de setembro. A produção orçada em mais de R$ 5 milhões está em fase de pré-produção (com definição de elenco etc) e será um produto exibido inicialmente em toda a América Latina. Segundo o executivo, o herói da série será um advogado.
Maurício Dias, da Grifa, diz que teve sua primeira co-produção em 1996, com o canal GNT, mas que a regra dos 3% trouxe a possibilidade de exportação de conteúdos. "Com os 3%, precisamos entrar no mercado, e não brigar com ele. Adaptar-se às exigências dos canais extrangeiros, mas sem perder a 'linguagem brasileira'".
Letícia Muhana, diretora do canal GNT, aplaudiu a idéia da regra dos 3% para programadores internacionais, mas fez questão de deixar claro que o governo deveria pensar, também, em mecanismos que estimulassem as programadoras nacionais a investirem em co-produções. Segundo Letícia Muhana, o lado perverso da regra existente é que hoje pode ser mais vantajoso mudar um canal para Miami porque os estímulos para produção no Brasil são maiores para os canais estrangeiros. A colocação gerou polêmica, que Gustavo Dahl, presidente da Ancine, resolveu com uma colocação: "é um ponto importante que está sendo colocado e deve ser levado ao MinC, que está desenhando o novo marco legal do setor".

Comemorações

No mesmo painel, a TAP e a ABPTA apresentaram um vídeo comemorando o resultado que a regra dos 3% vem mostrando. Além disso, Marcus Fernandes, do canal Nickelodeon, afirmou que o programa "Patrulha Nick", co-produzido com a TeleImage, já está entre as melhores audiências do canal, ficando atrás apenas dos desenhos da série "Bob Esponja".
Sobre as comemorações, Leonardo Monteiro de Barros diz que regra deveria subir para 6%. "Meus sócios acham que deveria ir para 9%, mas eu me contento com 6%", brincou.

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 0-2017 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top