OUTROS DESTAQUES
Licitação de TV a cabo legaliza operadoras não-oficiais
terça-feira, 26 de outubro de 1999 , 20h36 | POR REDAÇÃO

O principal resultado da licitação de TV a cabo cujas propostas de preço foram abertas nesta terça, dia 26, é a legalização da maioria das operações não-oficiais. Isso só não aconteceu para a operação de Vila Velha, no Espírito Santo, que é uma extensão da operadora clandestina de Vitória. Em Vila Velha, ganhou a ESC 90 (Escelsa), empresa que já opera em Vitória e assim fortalece seu cluster. Em compensação, a empresa RCA, que pode estar relacionada, segundo comentários do mercado, com investidores da operação não-oficial da cidade, ganhou uma concessão. A RCA garante não ter relação com nenhuma empresa operadora de TV a cabo, clandestina ou não. Os operadores clandestinos ganharam a licitação em: Angra dos Reis/RJ (Superimagem, operadora não-oficial há seis anos); Cabo Frio/RJ (Cool Cable); Cianorte/PR (onde a Canbrás legaliza sua situação); Currais Novos/RN (Sidy's Comunicações); Divinópolis/MG (Rádio e Televisão Centro Oeste, que tem acordo com a Master Cabo, operadora não-oficial da cidade); Gaspar/SC (onde a BTV legaliza o trecho da rede de Blumenau que ultrapassou as fronteiras do município), Governador Valadares/MG (S.I. TV a Cabo); Montes Claros/MG (RBC).

COMENTÁRIOS

1 Comentário

  1. MARIA DA PENHA disse:

    26/10/1999, 20:36
    Licitação de TV a cabo legaliza operadoras não-oficiais

    GOSTARIA DE LER MAIS SOBRE TV A CABO EM VILA VELHA. NÃO ESTOU SATISFEITA COM AS OPÇÕES DO MERCADO PARA ESSE SERVIÇO.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
Top