Mercado
27/02/2004, 18:21

Cisneros e News desmentem fusão imediata Sky/DiercTV

POR REDAÇÃO

Depois de causar uma tremenda confusão (e um imenso mal estar junto aos demais grupos de mídia na América Latina), Gustavo Cisneros, presidente do grupo Cisneros, voltou atrás. Nesta sexta, dia 27, o maior empresário de mídia da Venezuela mandou desmentir sua declarações de que as negociações sobre uma fusão entre Sky e DirecTV Latin America estariam concluídas. "Olhando adiante, tenho certeza de que todas as opções que busquem melhorar os modelos de negócios das empresas serão consideradas, mas até o presente momento não há nenhuma negociação ou nenhum acordo para a fusão ou associação das operações Sky e DirecTV na América Latina", disse Gustavo Cisneros em comunicado.
Esta semana, em Barcelona, o empresário disse que a negociação estaria concluída. Conforme fontes próximas às empresas que conversaram com PAY-TV News na quinta, 27, as declarações de Cisneros não só causaram surpresa à Globo e à Televisa (sócios diretos da News Corp. na Sky) quanto representavam, aparentemente, apenas uma tentativa de marcar posição de Cisneros. O grupo venezuelano tem uma posição complicada porque é sócio da Hughes na DirecTV Latin America, mas não é sócio direto da News como são Globo e Televisa. O grupo Cisneros tem apenas um acordo com a Hughes pelo qual teria garantida uma participação de 7% em uma eventual fusão entre Sky e DirecTV. Mas não há certeza de que a News Corp., que recentemente comprou 34% da Hughes, manterá este acordo.
Por outro lado, a posição de Globo e Televisa na hipótese de uma fusão está sendo discutida nesse momento. Rupert Murdoch declarou recentemente que vê as operações unidas no futuro, que a Televisa provavelmente terá 50% no México e que a Globo será minoritária, assim como outros sócios locais, mas não deu detalhes de quão próxima está essa fusão. Murdoch disse também que as operações terão marca única e uplink center em Miami.

News nega

Em outro desmentido às declarações de Cisneros, a News Corp. fez questão de dizer que as declarações dadas esta semana pelo executivo de mídia mexicano não correspondem à realidade: "Até o momento, nenhuma negociação ocorreu entre a News Corporation e o Sr. Cisneros ou o seu grupo ou, de uma maneira mais geral, entre os acionistas da Sky Brasil, por um lado, e os acionistas da Galaxy Brasil, por outro lado, envolvendo a possível combinação dos negócios da Sky Brasil e da Galaxy Brasil (DirecTV), ou de qualquer outro negócio das empresas, na América Latina. A News Corporation declarou, em seus processos apresentados às autoridades reguladoras e de defesa da concorrência, atualmente sob análise das autoridades brasileiras, em relação à compra da Hughes, que a aquisição, por si só, não contempla uma colaboração ou combinação das operações da Galaxy Brasil e da Sky Brasil. De acordo com a atual transação, estas plataformas vão continuar operando como empresas separadas e independentes. No futuro, se a News Corporation, a Hughes, a Globopar e a Liberty concordarem em unir as operações da Sky Brasil e da Galaxy Brasil, as comunicações apropriadas e específicas serão feitas às autoridades brasileiras, em total conformidade com a lei".
É interessante notar que o desmentido da News faz referência destacada ao Brasil, o que se explica de duas maneiras: ou o desmentido visa acalmar os sócios brasileiros (entenda-se Globo) ou as negociações para uma fusão no México e no restante da América Latina estão mais avançadas do que aqui.

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 0-2017 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top