TV digital
27/08/2008, 22:28

Itamaraty traz latinos para conhecer sistema brasileiro

POR ANA CAROLINA BARBOSA

O Itamaraty, por meio do seu departamento de temas científicos e tecnológicos, trouxe ao Brasil representantes do governo da Argentina, Peru e Equador para conhecer o sistema brasileiro de TV digital. Além de participar das atividades do Congresso SET, evento que acontece entre 27 e 29 de agosto em São Paulo, eles cumprem agenda de visitas a emissoras e reuniões com autoridades.
Lisandro Salas, secretário das Comunicações da Argentina, esteve na abertura do congresso. "A nós interessa muito conhecer o padrão brasileiro de televisão digital", disse o secretário, sem dar pistas de qual sistema será adotado pelo país vizinho. "Ainda não temos data para a escolha final. Estamos em fase de estudos, analisando todos os sistemas que estão funcionando atualmente e o brasileiro é um deles", afirma Salas.
O presidente da comissão de televisão digital do Peru, Manuel Cipriano Pirgo, conta que o país está terminando a pesquisa que conta com análises de cinco modelos de TV digital (europeu, norte-americano, chinês, japonês e nipo-brasileiro) e questionários respondidos pela população. A data para entrega do estudo é 30 de setembro próximo e com base nele, o governo deve fazer sua escolha. "Chamamos a sociedade para uma ampla consulta, da qual participaram empresas do ramo de tecnologia, radiodifusão e telecomunicação", diz Pirgo. "Não sei qual será o modelo escolhido, mas além de optar pelo que mais atenda às necessidades da nossa população, consideraremos os custos e possibilidade de cooperação técnica e econômica".
Para Fabian Palacios, superintendente de telecomunicações do Equador, a viagem ao Brasil foi muito proveitosa não só para conhecer o padrão de TV digital brasileiro, mas também para entrar em contato com representantes de outros países que estão na fase de escolha do sistema a ser adotado. "Estamos conversando sobre a possibilidade de fazer um fórum para discussão. Ao meu ver, seria interessante se pudéssemos tomar uma decisão coletiva porque para o governo do Equador, essa não é uma questão só técnica, é também política e desenvolvimentista", conclui destacando que o país se auto-impôs o limite para eleger o modelo de TV digital: "Não passará do primeiro semestre de 2009".

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 0-2017 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top