OUTROS DESTAQUES
Barreto fala sobre agência do cinema e audiovisual V
terça-feira, 28 de agosto de 2001 , 22h13 | POR REDAÇÃO

Caso o modelo desenhado pelo Gedic seja mesmo implantado, Luiz Carlos Barreto prevê que até 2006, o número de salas de exibição no Brasil seja no mínimo duplicado de 1,6 mil para 3,2 mil, ou seja, uma sala de cinema para cada 45 mil pessoas. Considerando que o Brasil já teve esse número de salas com uma população bem menor, Barreto brinca que este projeto é um "back to the future". "Nós queremos no mínimo voltar a um passado recente, quando vendíamos 250 milhões de ingressos/ano. Estamos reduzidos a 70 milhões. É preciso fazer uma recuperação do que já fomos. Produzir no mínimo de 200 a 250 títulos de obras de cinema e audiovisual por ano, e não os parcos 35 filmes feitos hoje em dia. Pretendemos também exibir um filme por semana em cada rede de televisão".

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro do mercado de satélites brasileiro

31 de agosto a 1 de setembro
Royal Tulip Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Top