Banda larga
29/04/2004, 20:54

Telefônica manteve conversas com Net, apesar da Calais

POR RUBENS GLASBERG

Fonte de alto nível da Telefônica garantiu a este noticiário que a empresa recusou a exigência da Brasil Telecom e Telemar para que não fossem concluídas as negociações com a Net Serviços para a acesso local via rede de TV a cabo fora do Estado de São Paulo. Segundo o jornal Folha de S. Paulo, que no final de semana passado revelou documentos apreendidos pela Polícia Civil na sede da Telefônica em São Paulo, uma das condiçõe para que a Telefônica entrasse no consórcio Calais para comprar a Embratel, ao lado de Brasil Telecom e Telemar, teria sido o veto às suas negociações com a Net. Seria uma forma, segundo o jornal, de garantir que a Telefônica não concorriria com as outras teles no restante do Brasil.
A fonte da Telefônica também garantiu que jamais informou suas ex-parceiras na Calais sobre a existência destas negociações com a Net Serviços, e não soube através de que meios a BrT e a Telemar tiveram conhecimento do assunto.
Desnecessário dizer que o vazamento das informações sobre estas negociações causou profundo mal-estar na cúpula das Organizações Globo, assim como causaram mal-estar os rumores plantados na imprensa de que o grupo da família Marinho apoiava o consórcio das teles. Rumores estes que, aliás, não foram apenas ventilados na imprensa. Pelo menos dois ministros ouviram, de pessoas ligadas ao consórcio Calais, a afirmação de que a Globo seria contra a Telmex, o que foi posteriormente desmentido pela própria Globo ao governo.
A fonte reconhece ainda que durante a negociação para a constituição do consórcio Calais (que estava no páreo para a compra da Embratel), o grupo espanhol exigiu que na partilha dos ativos da empresa de longa distância, caso fosse adquirida, nenhuma das três teles locais ficaria com negócios em sua respectiva área de concessão.
De qualquer maneira, todas estas informações da Telefônica só vão se confirmar se for levado ao conhecimento público o acordo definitivo de acionistas para a formação do consórcio Calais.

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 0-2017 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top