OUTROS DESTAQUES
Programação
Aos dez anos, canal da Sony quer ser mais local
quinta-feira, 30 de março de 2006 , 19h13 | POR EDIANEZ PARENTE

?No Brasil, onde a TV aberta é tão forte, sabemos que precisamos ter mais produtos locais para ter mais audiência e mais assinantes?. A afirmação é de Sergio Pizzolante, VP e co-general manager dos canais Sony para a América Latina (Sony, AXN e Animax). O canal Sony Entertainmente Television comemora seu décimo aniversário ? e o Brasil foi o primeiro país da região a distribuí-lo -, e não se posiciona mais apenas como o canal exlcusivo de sitcoms, mas sim como um canal de entretenimento geral. As principais atrações do Sony hoje são ?Desperate Housewives?, ?Charmed?, ?Dawson's Creek?, ?Ghost Whisperer?, mas há o desejo de aumentar a porção de conteúdo nacional, hoje restrito a interprogramas como ?Avesso? e ?As Últimas?. Pizzolante diz que a idéia é aproveitar recursos mobilizados via ar. 39 da Lei da Ancine, em projetos um pouco maiores. Mas ele descarta a produção de reality shows e de séries de ficção: ?Há episódios de CSI, por exemplo, que saem por US$ 7 milhões, não dá para fazer isso?, explica. O canal Sony vai estrear nos demais países da América Latina, exceto Brasil, o formato ?Latin American Idol? – no Brasil, a versão local foi comprada pela TV aberta, via SBT. Segundo o executivo, o canal Sony teve em 2005 46% de crescimento de faturamento no país, por conta das receitas em vendas de publicidade.
O business plan do canal também inclui novidades para as plataformas digitais das operadoras. Pizzolato não adianta que tipo de novidades são estas, mas acredita que possa completar uma oferta dos operadores em novas plataformas para atender também a classe C.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro do mercado de satélites brasileiro

31 de agosto a 1 de setembro
Royal Tulip Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Top