OUTROS DESTAQUES
Balanço
Amazônia Celular tem prejuízo de R$ 4,7 milhões
quinta-feira, 02 de agosto de 2007 , 14h42 | POR REDAÇÃO

A Amazônica Celular divulgou nesta quinta-feira, 2, seu balanço financeiro referente ao segundo trimestre do ano. A receita líquida de serviços totalizou R$ 112,6 milhões no período, um aumento de R$ 4,1 milhões ou 3,8% em relação ao trimestre anterior. Este aumento, segundo a companhia, está relacionado à sazonalidade do trimestre. Quando comparada mesmo período do ano passado, a receita líquida de serviços foi acrescida em R$ 28,6 milhões ou 34,1% no trimestre. A Amazônica Celular teve um prejuízo líquido de R$ 4,7 milhões, um pouco menor que o prejuízo de R$ 5,6 milhões do primeiro trimestre do ano. O Ebitda no trimestre atingiu R$ 28,9 milhões com margem de 25,6%. No trimestre anterior o Ebitda havia sido de R$ 28,4 milhões com margem de 26,2%. Na comparação ano a ano, a margem aumentou 1,9 ponto percentual e o Ebtida foi R$ 9 milhões maior. A receita de dados totalizou R$ 6 milhões no período, registrando uma queda quando comparada aos R$ 7 milhões registrados no trimestre passado e aos R$ 7,2 milhões registrados no segundo trimestre de 2006.
A base total de clientes alcançou 1,291 milhão durante o segundo trimestre de 2007, representando um aumento de 2,8% e 3,3% quando comparado ao trimestre passado e ao segundo trimestre de 2006, respectivamente. As adições líquidas foram de 35,348 mil clientes no trimestre. A receita média por usuário (Arpu) do segmento pós-pago atingiu R$ 86,9 no trimestre, ante os R$ 85,4 registrados no primeiro trimestre do ano. Quando comparado ao segundo trimestre de 2006, o ARPU pós-pago registrou um aumento de R$14,2 no trimestre. Esse crescimento é resultado da adoção da regra de full billing. Excluindo os impactos da adoção do full billing, o Arpu pós-pago no período teria atingido R$ 70,7, representando uma redução de R$2,1 em relação ao segundo trimestre do ano passado como conseqüência da menor receita proveniente das operadoras fixas e de assinatura, em função do menor número de clientes pós-pagos no período.
A Arpu do segmento pré-pago atingiu R$ 17,1 no segundo trimestre do ano, pouco acima dos R$15,8 registrados no trimestre anterior. Quando comparado ao segundo trimestre de 2006, a Arpu pré-paga registrou um aumento de R$ 8 em 2007, devido à adoção da regra de full billing. Excluindo esse impacto a Arpu do segmento pré-pago teria atingido R$ 11,8 no segundo trimestre do ano, um acréscimo de R$ 2,6 em relação ao valor registrado no segundo trimestre do ano passado, devido principalmente ao maior volume de créditos consumidos pelos clientes pré-pagos.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro do mercado de satélites brasileiro

31 de agosto a 1 de setembro
Royal Tulip Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Top