OUTROS DESTAQUES
Futurecom 2007
Ministro critica Anatel em abertura de evento
terça-feira, 02 de outubro de 2007 , 00h20 | POR MARIANA MAZZA, DE FLORIANÓPOLIS

A cerimônia de abertura da 9ª edição do Futurecom foi marcada por breves discursos e uma provocação do ministro das Comunicações para a Anatel. Hélio Costa criticou as restrições criadas pela agência para a mobilidade do WiMAX. ?Terminada a licitação do 3G, a nossa próxima prioridade será o WiMAX, com foco na mobilidade. Acredito que a mobilidade deva vir embutida no processo e não deve estar limitada por mecanismos regulatórios?, reclamou Costa.
Desde que a Anatel editou recentemente um regulamento de certificação de equipamentos para a faixa, exigindo que os mecanismos de mobilidade fossem desativados para o comércio no Brasil, os fornecedores têm criticado a medida. No entanto, o comentário de Costa pegou a agência de surpresa. ?Essa questão nunca foi levada à agência. Me parece mesmo um contra-senso impedir a mobilidade, mas a primeira vez que este assunto é apresentado foi agora, neste momento?, comentou uma fonte da diretoria do órgão regulador.
Costa foi ainda mais longe nas críticas. Na opinião do ministro, o edital para a venda das licenças de WiMAX deve ser refeito. Segundo ele, essa sugestão já foi inclusive feita à Anatel. "A minha sugestão é recolher e refazer o edital para que ele possa ser colocado novamente em condições de ser disputado", disse ele. Ministro criticou também as regras do regulamento para a exploração da tecnologia que não contempla o serviço móvel. "O produto que já está inovado, já está aperfeiçoado com mobilidade. No mundo inteiro estão mudando para mobilidade. Eu estou pedindo que a gente faça alguma coisa", afirma.

Atraso

Depois de um atraso de duas horas na solenidade, Costa conseguiu desagradar boa parte das centenas de convidados que o aguardavam no centro de convenções de Florianópolis (SC). Parte dos presentes chegou a ensaiar uma vaia quando o ministro foi convidado a subir no palco, mas não encontrou coro nos demais espectadores. Mesmo sem protestos mais efusivos, Costa ficou desconfortável com a situação e reservou o início de seu discurso para se desculpar com a platéia.
Costa relembrou seu tempo de jornalista quando, em 1961, perdeu a inauguração da ?Tocha da Amizade? no centro da cidade de Miami por conta de um atraso de 20 minutos. ?Foi nessa idade que eu aprendi a não chegar atrasado. Mas como existe a Lei de Murphy, acabei me atrasando justamente quando não devia. Peço desculpas porque estou desde às 5h da tarde tentando chegar aqui?, desabafou o ministro por volta das 21h30, quando, enfim, começou seu discurso.

Discursos comedidos

Com o atraso, toda a cerimônia ficou comprometida e os discursos foram encurtados ao máximo. O senador Welligton Salgado (PMDB/MG) e o deputado Júlio Semeghini (PSDB/SP) acabaram abrindo mão de seus discursos e foram efusivamente aplaudidos. ?É a primeira vez que deixo de falar e descobri que sou mais aplaudido do que quando falo. Interessante?, brincou Semeghini ao sair do evento.
Os outros dois convidados que fizeram uso da palavra ? os presidentes da Telefônica, Antonio Carlos Valente, e da Anatel, embaixador Ronaldo Sardenberg ? foram econômicos e guardaram suas opiniões para os painéis para os quais estão agendados.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
Top