OUTROS DESTAQUES
Balanço financeiro
Telecom Italia avança nas receitas impulsionada por resultados no Brasil
quarta-feira, 03 de maio de 2017 , 17h47

Com crescimento na Itália e no Brasil, a Telecom Italia apresentou um trimestre com números positivos, segundo relatório financeiro do grupo publicado nesta quarta-feira, 3. Em particular, agradou à matriz italiana o desempenho da TIM no mercado brasileiro, revertendo tendência de queda de 13 trimestres seguidos e aumentando a participação nas receitas e lucros da companhia. 

As receitas totais da Telecom Italia somaram 4,819 bilhões de euros no primeiro trimestre, um avanço de 8,5% comparado com igual período do ano passado. Com 1,181 bilhão de euros no começo de 2017, o Brasil mostrou um aumento de 31,7%, maior em números absolutos do que o desempenho do mercado doméstico. Com isso, aumentou também a participação brasileira na receita total do grupo italiano, passando de 20,2% para 24,5% em 12 meses.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EBTIDA) totalizou 1,990 bilhão de euros, avanço de 16,2%. A margem foi de 41,3%, aumento de 2,7 pontos percentuais (p.p.). O EBTIDA do Brasil foi de 372 milhões de euros, aumento de 44,2%, com margem avançando 2,9 p.p. e encerrando março em 31,6%.

O lucro operacional avançou 22,9% e totalizou 865 milhões de euros, com margem de 17,9%, ou 2 p.p. acima do ano passado. O lucro líquido, entretanto, foi de 200 milhões de euros, um recuo de 50,63%.

O Capex do grupo italiano totalizou 831 milhões de euros entre janeiro e março deste ano, uma redução de 11,97%. O Capex destinado ao Brasil no período foi de 200 milhões de euros, um aumento de 20,48%, incluindo um impacto positivo de variação cambial de 46 milhões de euros. Aumentou também a participação da TIM Brasil no total de investimentos: subiu de 17,6% para 24,1%.

A dívida líquida ajustada totalizou 25,235 bilhões de euros ao final de março, um aumento de 116 milhões de euros frente ao final de 2016. A companhia afirma que isso reflete o pagamento de 257 milhões de euros pela TIM Brasil para o consórcio da Entidade Administradora da Digitalização (EAD) para a limpeza do espectro de 700 MHz. Segundo a companhia, não fosse isso, haveria uma melhora de 141 milhões de euros na dívida.

Previsões

A Telecom Italia prevê para triênio 2017-2019 a continuação de seu processo de transformação, com foco em disciplina financeira para desenvolvimento sustentável com mais eficiência operacional e mais investimento em fibra e banda larga móvel. Especificamente para a TIM Brasil, o plano é o "relançamento" da operadora, reposicionando a subsidiária baseada na qualidade das ofertas e rede, enquanto procura competir no segmento pós-pago e melhorar a lucratividade. "Em particular, haverá um maior impulso na criação da infraestrutura de ultra banda larga móvel – ao final do plano, 95% da população terá cobertura 4G em aproximadamente 3,6 mil cidades – e o desenvolvimento de ofertas convergentes graças em parte aos acordos com principais produtores de conteúdo premium", destaca a empresa no comunicado.

Para um futuro mais imediato, a companhia espera uma melhora no mercado italiano nos próximos seis ou nove meses, segundo explicou o CEO Flavio Cattaneo durante a teleconferência com analistas. Em particular, deverá presenciar uma melhora nas receitas de serviços domésticos, com foco na ultra banda larga – em particular, acessos com foco em FTTx. O executivo não endereçou o mercado brasileiro, mencionando apenas que não daria previsão no momento.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
Top