OUTROS DESTAQUES
Caso Opportunity
PT apresenta voto em separado na CPMI e pede indiciamento de Dantas
terça-feira, 04 de abril de 2006 , 19h21 | POR REDAÇÃO

A bancada do Partido dos Trabalhadores (PT) na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Correios apresentou nesta terça, 4, voto em separado com críticas ao relatório final do deputado Osmar Serraglio (PMDB/PR) e recomenda o indiciamento, entre outros nomes, de Daniel Dantas, dirigente principal do grupo Opportunity; Humberto José Rocha Braz, ex-presidente da Brasil Telecom Participações; Carla Cico, ex-presidente da Brasil Telecom (operadora); Carlos Bernardo Torres Rodemburg, sócio do Opportunity; e Antônio José dos Santos, ex-presidente da Telemig Celular Participações e Tele Norte Celular Participações, pelos crimes em tese praticados de tráfico de influência, corrupção ativa, supressão de documento, crime contra a ordem tributária e lavagem de dinheiro. O voto do PT recomenda também, em tese, o indiciamento do jornalista da revista Isto É Dinheiro, Leonardo Attuch, pelos crimes de tráfico de influência e corrupção ativa.
O deputado Maurício Rands (PT/PE), destacado pelo partido para negociar com o relator da CPMI, explica que a bancada optou por um substitutivo global ao relatório final do deputado Serraglio, do PMDB, por considerar que pontos importantes como a origem do ?sistema Valerioduto? e a fonte dos recursos que alimentavam esse ?esquema?, apareciam apenas superficialmente. Segundo ele, ?o esquema de propina e levantamento de fundos foi inventado por Marcos Valério em 1998 para financiar a campanha de Eduardo Azeredo na aliança entre PSDB e PFL para o governo de Minas Gerais?. Rands cita especificamente as empresas Amazônia Celular e Telemig Celular, ambas na época controladas pelo grupo Opportunity, como uma das origens dos recursos do ?Valerioduto?: ?só entre os anos 2000 e 2001 as empresas transferiram mais de R$ 152 milhões para as empresas de Marcos Valério?.
Um ponto que promete causar muita polêmica e dificultar a aceitação do substitutivo proposto pelo PT é que, ao contrário do relatório final, o voto não recomenda o indiciamento, entre outros nomes, de José Dirceu, Luiz Gushiken e Duda Mendonça. A bancada do PT justifica que não existe prova suficiente contra esses nomes para que fossem incluídos nas recomendações de indiciamento, mas pede que o Ministério Público continue com investigando-os.

Votação

A apresentação de voto em separado pode ser feita quando um parlamentar ou bancada considerar inadequado o voto do relator, mas este só é apreciado pela Comissão no caso de rejeição global do voto do relator. O deputado Rands, do PT, insiste que a bancada do PT e a base aliada trabalham pela votação de um relatório único, mas que consideraram ?importante um substitutivo para que a sociedade brasileira possa conhecer as duas interpretações acerca das investigações realizadas pela CPMI?. Agora a luta do PT é pela unificação dos relatórios, trabalho que deve se estender pelas primeiras horas da noite dessa terça-feira e que deve ser concluído antes do início da sessão de discussão do relatório, que estava marcada inicialmente para as 14h desta terça.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro do mercado de satélites brasileiro

31 de agosto a 1 de setembro
Royal Tulip Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Top