OUTROS DESTAQUES
Infra-estrutura
CTBC concluirá implantação de NGN em cinco anos
quinta-feira, 04 de outubro de 2007 , 19h03 | POR IVONE SANTANA, DE FLORIANÓPOLIS

A CTBC iniciou este ano um processo para implantação de uma rede IP que substituirá quase totalmente a infra-estrutura em toda a sua área de atuação. Em cinco anos, 100% da rede será de próxima geração (NGN), o que possibilitará benefícios como redução de impostos e desenvolvimento de serviços convergentes, entre outros. A operadora lançou uma RFP para selecionar os fornecedores que farão a implantação da infra-estrutura, mas não revela a previsão de investimentos. O resultado sairá até o final do ano.
Segundo o superintendente de desenvolvimento de negócios e soluções da CTBC, Mauri Seiji Ono, alguns pontos da rede já estão com proposta colocada. Ele explicou que no core, grandes equipamentos vão substituir as centrais telefônicas. Nas pontas ficará a rede de nova geração, que dará maior velocidade ao tráfego. O par de cobre continuará na última milha. Na rede atual já existe um trecho de fibra óptica para o acesso internacional.
A estratégia é concentrar o foco da empresa em aplicações convergentes, explorando as facilidades da rede baseada no protocolo IP, que será a base da nova rede da operadora.

Atenção às PMEs

A direção da operadora decidiu juntar alguns de seus produtos e serviços e lançará no final do mês o CTBC Total, voltado para pequenas e médias empresas de sua área de concessão. Isto significa um mercado potencial de 20 mil PMEs distribuídas em mais de 300 cidades. Futuramente, a solução será oferecida também na área de expansão da operadora. O CTBC Total é um pacote composto por computador, software, serviço de instalação e manutenção de rede, banda larga, escritório virtual e help desk. O cliente não precisa comprar o pacote, que é cedido em comodato, mediante pagamento de aluguel mensal (a partir de R$ 99,90). Há várias configurações diferentes, incluindo mobilidade ? neste caso, por R$ 155/mês. A cada três anos, os equipamentos serão trocados sem custo para o cliente.
No ano passado, a empresa lançou o Clipe CTBC, que reúne telefonia fixa, móvel e internet, com apelo para a emissão de conta única. O serviço foi complementado pelo CTBC Cel-Fix, lançado há seis meses, que reúne telefonia fixa e móvel, reduzindo o valor do minuto da ligação. O usuário pode fazer chamadas locais de telefone fixo para celular e vice-versa, como se fossem originadas de aparelhos similares, sem vinculação a qualquer equipamento.
Ono explica que esses serviços não concorrem com o fixo-móvel anunciado pela TIM nesta semana, que acrescenta um número fixo no chip do celular do cliente. No caso da CTBC, o usuário precisa ter os dois terminais; as contas são enviadas separadamente. Até agora, mais de 2 mil assinantes aderiram ao Cel-Fix.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
Top