OUTROS DESTAQUES
Políticas de comunicação
Produtores independentes manifestam apoio ao PL29
terça-feira, 08 de dezembro de 2009 , 18h32 | POR REDAÇÃO

A Associação Brasileira de Produtoras Independentes (ABPI-TV) divulgou posição nesta terça, 8, declarando apoio ao PL 29, que cria novas regras para a TV por assinatura e que terá seus destaques votados quarta-feira, 9, na Câmara dos Deputados. A ABPI-TV destaca na nota a capacidade de produção das produtoras independentes e a qualidade técnica das produções nacionais, bem como a forte aceitação pelos telespectadores conforme mostram as audiências de programas como a animação "Peixonauta". A associação diz ainda que as cotas para a produção independente nacional já existem há mais de 20 anos em praticamente todos os países da Europa e América do Norte, colocando-se à favor de sua implantação no Brasil. "Reafirmamos nosso total apoio ao PL 29 e nossa certeza que, ao aprovar seus principais fundamentos, a Câmara dos Deputados e o Congresso Nacional estarão garantindo ao país o amplo, livre e democrático desenvolvimento da indústria audiovisual e da cultura brasileiras", finaliza a associação na carta assinada por toda a diretoria.
Veja a carta na íntegra.
"Sobre a votação do PL 29 que acontecerá amanhã, dia 9 de dezembro, e decidirá importantes rumos do audiovisual brasileiro, a Associação Brasileira de Produtoras Independentes- ABPI-TV gostaria de declarar sua posição:
Apesar de uma presença ainda tímida nos canais por assinatura no Brasil, a produção independente brasileira já atingiu níveis de excelência e reconhecimento do público. Canais internacionais como Fox, HBO, Discovery, Turner, Nickelodeon e Cartoon, entre outros, exibem conteúdo brasileiro independente com muito sucesso. Lembrando que os canais brasileiros por assinatura mantêm em sua programação programas produzidos por produtoras independentes brasileiras.
A série de animação infantil mais assistida na TV paga brasileira, Peixonauta, é uma produção brasileira. Seus índices de audiência superam em mais de duas vezes desenhos internacionais como Charlie e Lola ou Bob o construtor. Mesmo caminho têm seguido as séries brasileiras e documentários que são recordes de audiência nos canais onde são exibidas, sendo que muitas foram indicadas às finais do Emmy Internacional (maior prêmio da TV mundial) nos últimos anos, aumentando a credibilidade desses canais.
A regulamentação de um horário para a produção independente nacional já existe há mais de 20 anos em praticamente todos os países da Europa e América do Norte. As maiores produções mundiais foram realizadas através de produtoras independentes.
O Brasil já provou ter talento e capacidade competitiva na produção audiovisual. Agora, na perspectiva de crescimento deste mercado e com a entrada de novos players, deve ter o seu merecido lugar. A pluralidade de pensamentos alinhada à livre concorrência é saudável em um ambiente rico em oportunidades e talentos.
Estamos em um momento positivo para o setor audiovisual. O aumento da base de assinantes na TV tem de corresponder ao crescimento de todos os envolvidos neste mercado.
Reafirmamos nosso total apoio ao PL 29 e nossa certeza que, ao aprovar seus principais fundamentos, a Câmara dos Deputados e o Congresso Nacional estarão garantindo ao país o amplo, livre e democrático desenvolvimento da indústria audiovisual e da cultura brasileiras".

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
Top