OUTROS DESTAQUES
Governança da Internet
Intenção do NetMundial Initative não é de julgar nada, diz Demi Getschko
segunda-feira, 10 de novembro de 2014 , 18h12 | POR BRUNO DO AMARAL

Criticada por manter cadeiras permanentes dedicadas às instituições fundadoras – o Comitê Gestor de Internet (CGI.br), a Internet Corporation for Assigned Names and Numbers (ICANN) e o Fórum Econômico Mundial (WEF), além do Internet Governance Forum (IGF) e o grupo I* (Istar) –, a NetMundial Initiative tem como meta viabilizar propostas, e não ser um encontro ou uma entidade nova. Essa é a visão do conselheiro do CGI.br e diretor-presidente do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), Demi Getschko, que defende o conceito puro de plataforma da iniciativa. "Isso é o começo de algo, ninguém vai pagar a conta para ninguém, não terá reunião, não é um segundo fórum para as pessoas se reunirem", afirmou ele em entrevista a este noticiário.

Ele explica que a criação do comitê de transição com o CGI.br, o ICANN e o WEF serve para "minimamente algum tipo de orientação" para definir a plataforma, os detalhes organizacionais e a aplicação dos princípios estabelecidos com base no NetMundial original. Após essa etapa, será constituída um Conselho de Coordenação com 25 membros, dos quais cinco serão as cadeiras cativas. "Não é um comitê de ação, é de facilitamento. Não leve nada disso como muito definitivo, é de coordenação, eles não julgam projeto, não impedem que você faça algo com o projeto. Se ninguém se interessou pelo projeto, ele morre sozinho", explica Getschko.

Na visão dele, os membros não vão decidir nada: a discussão será na própria Iniciativa. "Eles (os membros do Conselho) serão uma espécie de conciliadores, facilitadores do processo", ressalta. Dessa forma, ele explica que o conceito de plataforma aberta invoca também a discussão multilateral para tratar de assuntos de interesse da comunidade, inclusive os mais polêmicos, como neutralidade de rede. "Essa plataforma não foi feita para discutir especificamente neutralidade, mas certamente isso, segurança e proteção a dados são temas que vão aparecer e serão tratados no espírito do NetMundial", declara.

Demi Getschko ressalta ainda que mesmo as cadeiras cativas no Conselho serão mandatos temporários, e ele não se inclui como um dos possíveis representantes brasileiros no CGI.br – no comitê de transição está um dos organizadores do projeto, o secretário do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e coordenador do CGI.br, Virgílio Almeida. "Eu não acho que seja uma coisa fundamental. O que seria muito interessante é ver projetos andar nisso. Por exemplo, poderíamos ver discussões de princípios", afirma, ressaltando que o NetMundial Initiative não é um novo órgão, mas uma forma de abrir discussões.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
Top