OUTROS DESTAQUES
Venda da Embratel
Executivos e Telos correm contra o tempo para enfrentar mexicanos
quarta-feira, 10 de dezembro de 2003 , 19h13 | POR REDAÇÃO

De acordo com fontes próximas aos bastidores do processo de venda da Embratel, o projeto da Telos de tentar comprar a concessionária de longa distância é desde sua origem uma iniciativa conjunta do fundo de pensão e dos executivos que estão à frente da empresa atualmente. Seria uma tentativa de enfrentar a investida da Telmex, que segundo as mesmas fontes, tem tudo para ser irresistível aos atuais controladores da Embratel, a norte-americana MCI. Por isso, o grupo corre contra o tempo para encontrar apoio financeiro, de investidores ou outras empresas do setor, capaz de render recursos suficientes para cobrir a proposta dos mexicanos, que segundo estimativas, deve ir além de US$ 1 bilhão. Isso até esta quinta, 11, prazo estipulado para a apresentação das ofertas.
A fundação Telos, sozinha, tem bom caixa, mas não pode alocar mais que 10% de seu patrimônio de R$ 2,3 bilhões em uma única empresa. Desta forma, circularam informações de que até mesmo o presidente da TIM Brasil, Mario Cesar Araujo, que no passado fez parte do quadro de diretores da Embratel, chegou a ser sondado, sem sucesso, como possível intermediário na atração da Telecom Italia para participar do consórcio. O executivo confirmou almoço com o presidente da Embratel, Jorge Rodriguez, na última terça, 9, mas negou que o encontro tratasse deste tema. A Qualcomm, que acabou de se desfazer do controle da Vésper justamente em favor da Embratel, também teria sido procurada.

Controle

O problema da Telos não acabaria na conquista de parceiros. Segundo uma fonte ligada a outros fundos de pensão, a Telos não poderá fazer parte do controle da Embratel porque já o faz na Brasil Telecom, outra concessionária de telefonia. Pela resolução 101 da Anatel uma empresa não pode estar no bloco de controle de duas concessionárias ao mesmo tempo. ?Apesar da participação acionária pequena, a Telos consta do acordo de acionistas de Invitel S/A, controladora da BrT. Pela Lei das S/A isso é configurado como controle?, explicou a fonte, lembrando que por esse mesmo motivo Previ, Petros, Funcef, Sistel e a própria Telos tiveram que deixar o controle da Telemar.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
Top