OUTROS DESTAQUES
Indústria de telecomunicações
Crescimento ainda será baixo em 2004
quinta-feira, 11 de dezembro de 2003 , 15h52 | POR REDAÇÃO

Não chegam a ser exatamente animadoras as perspectivas para a indústria de telecomunicações para 2004. A Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee) projeta para o próximo ano um crescimento de faturamento de apenas 6% para o setor, que confrontado com a expectativa de inflação de 6%, resultará em crescimento real igual a zero. A diretoria de telecomunicações da entidade, um pouco mais otimista, no entanto, acredita em um desempenho melhor, mas nada muito significativo: seria um crescimento real entre 3% a 4%. De acordo com o levantamento da entidade, divulgado nesta quinta, 11, a indústria de telecomunicações deve apresentar um crescimento nominal de faturamento de 13% e real de 2% este ano com relação a 2002, atingindo um total de R$ 8,4 bilhões. A indústria eletroeletrônica faturou em 2003 R$ 63,170 bilhões, ou 12% a mais do que em 2002, em valores nominais, e 1% a menos em valores reais.
O principal motivo da estagnação é a diminuição sensível nos investimentos em infra-estrutura de telefonia móvel, que neste ano teve grande impulso especialmente com a instalação de redes GSM da Claro, Oi e TIM. A telefonia fixa, ao que tudo indica, continuará sem receber aportes significativos em 2004.
Segundo Paulo Castelo Branco, diretor de telecomunicações da Abinee e presidente da Nec, os principais segmentos a contribuírem com maior expressividade para o faturamento do setor no ano que vem ainda serão os terminais e equipamentos de infra-estrutura de telefonia móvel, com crescimento de 16%, e de acessos de banda larga, com 40%. Há também expectativa favorável quanto à área corporativa e telefonia IP, além de serviços de operação e manutenção des redes.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
Top