OUTROS DESTAQUES
Estratégia
Oi foca em segurança na nuvem para aumentar receita corporativa
quinta-feira, 12 de janeiro de 2017 , 17h20

Aproveitando a infraestrutura do centro de operações de segurança (SoC) recém-inaugurado em São Paulo, a Oi está lançando uma nova plataforma de gestão, controle e proteção de aplicações em nuvem, o Cloud Security Oi. A diretoria do segmento corporativo (B2B) da companhia tem feito roadshows pelo País para lançar a nova ferramenta, que faz parte da estratégia da empresa em buscar o aumento da receita de TI e SVAs, que atualmente representam de 7% a 8% de todas as vendas do B2B. "A expectativa é que a gente cresça; em termos absolutos, que a gente dobre", afirma o diretor de TI B2B da Oi, Luiz Carlos Faray. A meta para 2017 para as receitas de TI e SVA é manter o crescimento anual de cerca de 20% registrado no terceiro trimestre do ano passado (na verdade, 22,5%).

A diretora de B2B da Oi, Cátia Tokoro, explica que manter esse crescimento já é desafiador em meio ao cenário macroeconômico atual. "Esse ano foi desafiador porque vimos redução de muitas empresas, com bancos fechando agências (transformando em atendimento digital) e redes varejistas fechando lojas", declara. "Então meio que andamos de lado, mas que foi um resultado satisfatório, dado o que percebemos no mercado."

A promessa é de aproveitar o SoC também para fazer novos lançamentos, proporcionando mais ferramentas as a service, tanto para pequenas e médias empresas quanto para grandes corporações e administrações públicas. Continuar a simplificação de portfólio também é uma meta, o que já permitiu à Oi começar a vender para o mercado B2B em pontos de venda tradicionais da Oi: atualmente a companhia tem 176 em todo o Brasil, com a intenção de estender essa capacidade para todas as cerca de 600 lojas.

Segurança em nuvem

A solução Cloud Security apresentada nesta quinta-feira, 12, na etapa paulistana do roadshow da companhia, é fruto de parceria com a fornecedora Cisco, que incorporou a plataforma Cloud Lock ao adquirir uma startup israelense em meados de 2016. É um serviço que permite ampliar o perímetro de segurança para aplicações em nuvens públicas, mantendo monitoramento mesmo fora da rede interna da empresa. Segundo Luiz Carlos Faray, a ferramenta nasceu de uma necessidade própria da Oi. "A gente sentia falta de ter essa parcela de monitoramento e gestão", declara. O sistema funciona em conjunção pelas APIs de soluções de nuvem conhecidas, como Office 365, da Microsoft, ou Dropbox. Inicialmente, a solução será apenas para grandes empresas, que já estão utilizando serviços do SoC, mas deverá ser expandida também para pequenas e médias no futuro.

Na visão de Cátia Tokoro, o diferencial da solução da Oi para as companhias é que, além de proporcionar a segurança prometida, ela funciona em conjunto com o SoC, o que permite dar maior visibilidade no monitoramento e aproveitando o grande backbone da empresa. "É o serviço prestado, a gente consegue relacionar vários, e está sempre super atualizado, porque tem sempre coisa nova acontecendo", declara. A solução faz parte do investimento de mais de R$ 100 milhões em três anos na área de segurança da operadora.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
Top