OUTROS DESTAQUES
Serviços móveis
Para grupos de comunicação, América Latina é desafio
segunda-feira, 12 de setembro de 2005 , 17h37 | POR SAMUEL POSSEBON, DE MIAMI

Grupos de comunicação dos EUA que atuam no mercado latino americano enxergam boas perspectivas no mercado de conteúdos digitais em celular, mas o desafio da renda ainda faz com que os planos sejam reticentes pra a região. Para Seth Schachner, diretor da divisão digital da Sony BMG Music, uma das maiores gravadoras do mundo, a baixa renda média da população é o maior desafio a ser vencido, assim como a multiplicidade de legislações e situações tributárias diferentes. "No Brasil, paga-se quase 33% de impostos sobre conteúdos por celular, o que não nos impede de fazer negócios por lá, mas cria dificuldades", explica. Para Luis Goicouria, vice-presidente da divisão de mídia digital da MTV Networks Latin America, a proteção dos direitos sobre as obras digitais ainda é um risco muito grande, especialmente na plataforma móvel. Além disso, na América Latina os preços precisam ser menores do que a média em outros países, "e as operadoras móveis ficam com uma fatia da receita acima da média mundial", explica Goicouria. No caso do Brasil, explica, a MTV Networks ainda precisa acertar a relação com o grupo Abril antes de investir mais. A Abril tem os direitos da marca MTV e de parte dos conteúdos, "o que precisa acontecer nos próximos seis meses". Os grupos de comunicação norte-americanos questionam o percentual dos 200 milhões de celulares da região que poderão oferecer serviços multimídia, "mas certamente o percentual aumentará muito com a troca natural que vai acontecer", diz Seth Schachner, da Sony Music.
O mercado brasileiro é um dos melhores para provedores de conteúdo, dizem as empresas, porque há competição, o que melhora as condições de negociação. "No México, há uma operadora quase monopolista que negocia de forma monopolista", diz Goicouria. De qualquer maneira, todos apostam no México e no Brasil como os mercados mais importantes, ao lado da Argentina, ainda que o Chile tenha uma base de clientes com tecnologia mais avançada.
Os executivos falaram durante o evento 3G CDMA Americas, que acontece esta semana em Miami.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro de lideranças do mercado de telecomunicações

19 de setembro a 20 de setembro
Royal Tulip Brasilia Alvorada, DF, Brasil
Top