OUTROS DESTAQUES
Política
Saída de Miro Teixeira deve ser parte da reforma ministerial
quarta-feira, 12 de novembro de 2003 , 20h03 | POR SÉRGIO SISTER

Fonte bem situada no governo disse a este noticiário nesta quarta, 12, que Miro Teixeira deve mesmo deixar o Ministério das Comunicações na reforma a ser empreendida nas próximas semanas pelo presidente Lula. A troca se faz apenas por conveniência política, diz a fonte, já que, por preferência pessoal, Lula gostaria que Miro Teixeira continuasse.
O postura do PDT em si não seria a causa da saída de Miro Teixeira já que, mesmo tendo se colocado na oposição, a maioria da bancada do partido vota com o governo. Mas a brecha serviria para resolver outros problemas com a base de apoio.
Esta semana, o nome do deputado federal pernambucano Eduardo Campos (PSB/PE), líder do PSB na Câmara, começou a circular em Brasília como ?uma grande possibilidade? para o lugar de Miro Teixeira. Antes dele, circulava o nome do deputado cearense Eunício Oliveira, líder do PMDB.
Mas fontes oficiais consultadas por este noticiário negam as duas versões.
Note-se, porém, que um alto dirigente do PT ponderou que não se deve descartar uma solução do tipo Eduardo Campos. Cita dois argumentos para isso:

1) Resolveria um problema político decorrente da ?necessidade? de saída de Roberto Amaral, também do PSB, do Ministério da Ciência e Tecnologia; Miro poderia até ir para o ministério da Ciência e Tecnologia, na cota de Lula.
2) Eduardo Campos, economista, fiel defensor das reformas do governo, próximo aos ministros José Dirceu e Antonio Palocci, pode ser um ?tranqüilo administrador? da área de telecomunicações, mesmo não sendo um especialista no assunto. Os novos contratos com as operadoras, nessa versão, exigiriam mais um técnico e bom negociador do que alguém com ambições políticas muito visíveis.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
Top