OUTROS DESTAQUES
3GSM World Congress
Linux marca presença entre sistemas operacionais para celular
quarta-feira, 14 de fevereiro de 2007 , 18h19 | POR SAMUEL POSSEBON, DE BARCELONA

Como já dito nesse noticiário sobre o evento 3GSM World Congress, que acontece esta semana em Barcelona, é ainda pequeno, mas já significativo, o movimento de alguns fabricantes de handsets rumo à adoção de plataformas de software baseadas em Linux. Esta semana foi anunciada oficialmente a iniciativa do LiMo Foundation (www.limofoundation.org), uma espécie de associação das empresas interessadas em promover o desenvolvimento de plataformas e aplicações baseadas no sistema operacional. Segundo Gurj Bahia, engenheiro chefe de desenvolvimento da Panasonic e responsável pela divisão de arquiteturas da LiMo Foundation, a iniciativa busca a troca de informações entre os desenvolvedores. ?É um modelo muito mais barato, modular, robusto e cooperativo de desenvolvimento. O que a fundação quer é criar um ecossistemas de interesses?. Já fazem parte da LiMo Foundation Motorola, NEC, NTT DoCoMo, Panasonic Mobile, Samsung Electronics e a operadora Vodafone. O ambiente em desenvolvimento está sendo chamado de Foundation. ?Há alguns anos que nós na Panasonic criamos aplicações em Linux para os handsets. Mas agora isso está se expandindo?, afirma Bahia. É um elemento novo na briga entre as diferentes plataformas de software que hoje compõem o cenário da indústria de handsets. Symbian (Nokia e Sony-Ericsson), Microsoft Windows Mobile, Palm, Brew, Java são alguns dos padrões da indústria. ?O que o Linux oferece é uma facilidade maior de desenvolvimento, custos menores e robustês?. Mas a iniciativa não deve ser entendida como o ?software aberto? no celular, diz Bahia. ?Algumas camadas de código e os APIs estão abertos para as operadoras, mas cada desenvolvedor estabelece a questão da propriedade do que for desenvolvido como quiser. O que não é possível, até por uma questão da estabilidade da rede móvel, é permitir acesso completo do usuário ao sistema operacional do handset. Ele certamente tem um nível maior de liberdade em uma plataforma Linux, mas nem tudo?, diz Bahia, em entrevista a esse noticiário.
A Panasonic já entregou 8 milhões de handsets com Linux até aqui. É pouco, mas é um começo. Estudos das empresas Diffusion e TDG Research apontam para a possibilidade de que os sistemas com Linux ultrapassem em vendas aqueles com Symbian em 2010. É mais um desses palpites com pouca ou nenhuma metodologia que são publicados a toda hora sobre qualquer assunto, mas a Motorola pretende ter pelo menos metade de seus handsets com esse sistema operacional em três anos.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
Top