OUTROS DESTAQUES
Operação
Base da Vivax cresce 11,7% em 2006; banda larga aumenta 62%
quinta-feira, 15 de fevereiro de 2007 , 17h50 | POR REDAÇÃO

A Vivax S.A. (Bovespa: VVAX11) divulgou nesta quinta, 15, os resultados referentes ao último trimestre de 2006 e também o balanço referente ao ano. A empresa é a segunda maior operadora de TV a cabo do País. No relatório referente ao ano de 2006, a Vivax assinala forte crescimento da base de assinantes, da ordem de 11,7, para 328,2 mil em TV por assinatura ao final do exercício. Já o crescimento da base de banda larga no ano foi de 62%, para 134,7 mil assinantes do serviço.
No último trimestre de 2006, nota-se uma queda do churn, tanto de TV a cabo (1,1%) quanto de banda larga (1,6%), índices menores do que os do mesmo período do ano anterior.
A receita média por assinante (Arpu) no último trimestre de 2006 também apresentou uma alta de 8,7%, atingindo R$ 102,23/mês, ante R$ 94 no período anterior.
Na receita líquida, a Vivax fechou 2006 com R$ 321,5 milhões, com um Ebitda consolidado de R$ 125,5 milhões – ou 21,3% superior ao de 2005. A margem de Ebitda foi de 39%, um ponto percentual acima da margem de 2005. O lucro líquido foi de R$ 78,8 milhões, o dobro do registrado no ano de 2005. Ainda, a dívida líquida da empresa fechou 2006 em R$ 127,4 milhões.
Outros itens são destaque em relação a 2005:
– a penetração de TV por assinatura nos homes-passed subiu de 25% para 27%;
– a penetração do serviço de banda larga sobre os assinantes de TV por assinatura passou de 28,2% para 41%.

Gastos

Entre os custos, as despesas operacionais com compra de programação apresentam-se como as maiores. Em 2006, quando a Vivax gastou R$ 54,3 milhões com as programadoras brasileiras e internacionais, houve um aumento de 25% nestes gastos em relação ao ano anterior. O relatório aponta como fatores para esse crescimento o aumento do número de assinantes e também o crescimento da base de pacotes premium (HBO). Houve também a alteração da grade, com a adição de canais ao pacote subbásico, como o Universal Channel. Dos custos de programação da Vivax, 46,6% estavam atrelados ao dólar norte-americano em dezembro de 2006.
A Vivax destaca que obteve redução de 48% nos custos com aluguel de postes, em virtude de bem-sucedidas renegociações das tarifas cobradas pelas empresas de energia elétrica.

Investimentos

A Vivax despendeu R$ 64,9 milhões em 2006, em comparação aos R$ 60,5 milhões em 2005. A ênfase nos investimentos foi na expansão da base de TV por assinatura e de banda larga. Sobre a sua composição acionária, o relatório aponta a aquisição das ações da Horizon feita pela Net, que a tornaram titular de 36,7% do capital social da Vivax ? 14,6% diretamente e 22,2% indiretamente, através de participação minoritária na Brasil TV a Cabo Participações (BVTC). Diz o balanço que ?a segunda etapa implica em troca de controle e necessita de prévia aprovação da Anatel?.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
Top