OUTROS DESTAQUES
Em qualquer solução, interoperabilidade e roaming estão garantidos
quarta-feira, 15 de março de 2000 , 21h33 | POR REDAÇÃO

No discurso da UMTS há pouca coisa, porém, dizendo que a opção brasileira pelo PCS na faixa de 1,8 GHz ou 1,9 GHz tornará seus equipamentos mais caros ou incompatíveis no resto do mundo. Recentes lançamentos e anúncios de fabricantes e operadoras mostram handsets compatíveis com TDMA e GSM nas mais variadas freqüências. Além disso, como os Estados Unidos usam o PCS na faixa de 1,9 GHz, inclusive com o GSM, já existe produção destes equipamentos. Em poucas palavras, a indústria está dando um jeito de resolver as questões de compatibilidade e roaming. Mas a briga da UMTS é para garantir espectro livre para o IMT-2000, e é nisto que ela está se focando. O que não impede que os fabricantes e operadores que defendem a faixa de 1,8 GHz (onde só funciona GSM) ou 1,9 GHz (que na prática é favorável ao CDMA) estejam também fazendo o seu lobby junto à Anatel. É o caso da GSM Association e do CDG – CDMA Development Group.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro do mercado de satélites brasileiro

31 de agosto a 1 de setembro
Royal Tulip Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Top