OUTROS DESTAQUES
Mercado
Base de assinantes de TV paga da Net chega a 2,4 milhões
quinta-feira, 18 de outubro de 2007 , 10h36 | POR SAMUEL POSSEBON

A operadora Net Serviços, que presta serviços de TV a cabo, banda larga e voz, acaba de divulgar os resultados referentes ao terceiro trimestre. A empresa chegou a um total de 2,4 milhões de assinantes de TV por assinatura, contra 2,3 milhões no trimestre anterior e contra 2,05 milhões no terceiro trimestre de 2006. Isso significa um crescimento de 4% no trimestre ou 17% no período de um ano. A base de assinantes do serviço digital conectados chegou a 419 mil, contra 322 mil no trimestre anterior e 135 mil no terceiro trimestre de 2006 (crescimento de 210% em um ano, portanto).
Já o crescimento da base de clientes banda larga segue expressivo: totalizou 1,288 milhão de clientes conectados no final do terceiro trimestre deste ano, contra 1,120 milhão no trimestre anterior (crescimento de 15%), ou 751 mil no terceiro trimestre de 2006 (crescimento de 71%). Ou seja, a penetração do serviço de banda larga na base de assinantes já é superior a 53%.
A base de assinantes do serviço de voz Net Fone via Embratel chegou a 469 mil clientes, comparada a 354 mil no trimestre anterior (32% de crescimento) e 115 mil no terceiro trimestre de 2006 (crescimento de 308%).
A Net tem hoje 8,98 milhões de domicílios cabeados, sendo 6,1 milhões bi-direcionais e 6,4 milhões preparados para a tecnologia digital. A rede cresceu 7% no período de 12 meses, mas as melhorias de bi-direcionalidade e digitalização ampliaram-se a taxas de 51% e 60% no período, respectivamente.
Com esses números operacionais, a Net chega a 4,57 mil unidades geradoras de receita, mostrando que a prioridade da operadora tem sido na venda de pacotes combinados.
No serviço de TV paga, a Net teve 98 mil adições líquidas, mas deixou de divulgar o número de vendas líquidas em seu balanço. Também não são mais divulgadas as vendas líquidas do serviço de cable modem, cujas adições líquidas no trimestre totalizaram 168 mil. O churn anualizado do serviço de TV paga está em 14,3% e o churn do serviço de banda larga está em 15,9%.

Resultados financeiros

A receita bruta da Net Serviços no terceiro trimestre foi de R$ 967,9 milhões, o que significa 28,8% a mais do que no mesmo período de 2006. No segundo trimestre deste ano, a receita bruta havia sido de R$ 906 milhões.
Já a receita líquida totalizou R$ 744,5 milhões no terceiro trimestre, contra R$ 545,8 milhões no segundo trimestre deste ano. Os custos com programação e franquia representam 25% da receita líquida da operadora, queda de dois pontos percentuais em um ano, o que se atribui à diversificação de receitas com serviços que não dependem deste insumo (banda larga e voz). Os custos operacionais (Opex) estão em R$ 97 milhões no trimestre e os investimentos no período foram de R$ 185,9 milhões.
O EBITDA da companhia foi de R$ 203,2 milhões, contra R$ 140,4 milhões no trimestre anterior e contra R$ 158,2 milhões no mesmo período do ano passado. Já o EBIT (que inclui o cômputo de depreciações e amortizações) chegou a R$ 98,8 milhões. Ainda assim, o resultado financeiro foi negativo em R$ 12,8 milhões, melhor do que os R$ 61,5 milhões negativos no trimestre anterior mas ainda assim pior do que os R$ 43,5 milhões do terceiro trimestre do ano passado (que se atribuíam a créditos fiscais da Vivax). A Net tem hoje uma dívida bruta de R$ 1,178 bilhão e uma dívida líquida de R$ 553,5 milhões.
Com isso, a receita média por assinante da Net Serviços no terceiro trimestre foi de R$ 128,47, contra R$ 125,65 no trimestre anterior e R$ 119,65 do terceiro trimestre de 2006. Pela cotação de quarta, 17, a Net estava valorada em R$ 9,8 bilhões em mercado.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
Top