OUTROS DESTAQUES
Mercado
CEO da DirecTV defende manter operações dos EUA e da América Latina juntas
sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010 , 13h44 | POR SAMUEL POSSEBON

Ao anunciar os resultados financeiros de 2009 nos EUA e na América Latina, a DirecTV também teve a primeira conferência com analistas conduzida por Michael White, CEO da companhia há cerca de dois meses. Na conferência, algumas observações importantes foram feitas sobre os negócios na América Latina, incluindo Brasil (onde a empresa controla a Sky). Um dos pontos foi sobre a possibilidade de a DirecTV separar a unidade latino-americana em uma empresa separada. Esta é uma especulação constante de analistas de mercado e é um caminho apontado para uma possível venda das operações na região. Segundo Michael White, de fato esta é uma discussão que existe no mercado e ele mesmo reconheceu que internamente existem avaliações sobre os possíveis benefícios de separar a DirecTV Latin America, mas disse que as sinergias e os ganhos de ter as duas unidades (norte-americana e latina) juntas faz sentido do pondo de vista de escalas e sinergias.
"Temos muitas oportunidades de crescermos internacionalmente e podemos buscar oportunidades além da América Latina, em outros mercados emergentes", disse o CEO da DirecTV. Ele concordou com uma indagação de um dos analistas, que afirmou que o mercado não dá crédito à expansão registrada na América Latina, pois esse desempenho não se reflete no preço das ações. "Se tentarmos dividir as empresas, teremos duas joint-ventures na região (México e Brasil) para serem trabalhadas. Nunca dizemos nunca, mas olhando hoje, acho que a DirecTV Latin America está criando muito valor para a DirecTV. Só precisamos deixar mais claro esse valor ao mercado".
White também disse que os resultados das operações na região foram excepcionais e que a expectativa é que sejam ainda melhores em 2010.
Crescimento
Sem dar números, Bruce Churchill, responsável pelas operações na América LAtina, disse que a penetração do serviço de HDTV no Brasil já supera os dois dígitos e citou uma futura entrada de novos canais HD, "incluindo conteúdo Globo", afirmou. Disse que a Sky experimentou crescimento no mercado de médio poder aquisitivo com o produto Sky Digital lançado recentemente. Ao ser questionado sobre o desempenho da TV a cabo no Brasil, com forte crescimento e oferta de banda larga, Churchill reiterou que acredita que a qualidade do produto de TV da Sky a torna competitiva em relação à ofertas combinadas. "O produto que temos é superior ao do cabo, especialmente no HDTV. Foi um modelo testado e com sucesso nos EUA, tem a escala da DirecTV e os consumdores vêem isso". Michael White reiterou ainda que o produto pré-pago terá grande valor competitivo em alguns mercados.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
Top