OUTROS DESTAQUES
Sucessão presidencial
Associações lançam "Livro Azul" de olho na sucessão
quinta-feira, 19 de setembro de 2002 , 16h36 | POR REDAÇÃO

Faltando apenas duas semanas para o primeiro turno das eleições, as operadoras de telecomunicações representadas na Abrafix, Acel e Telebrasil divulgaram nesta quinta feira, 19, simultâneamente em Brasília, no Rio de Janeiro e em São Paulo, o "Livro Azul das Telecomunicações", uma publicação com o objetivo de avaliar criticamente o processo de privatização do setor, assim como apresentar sugestões de "políticas e ações para os governantes que assumirão seus postos em janeiro de 2003". De acordo com o presidente da Acel, Luiz Garcia, atualmente o principal problema das telecomunicações brasileiras são os impostos incidentes sobre os serviços, considerados os mais altos de todo o mundo. "Apesar do potencial conflito de interesses, em face da diversidade de posicionamento das entidades sobre alguns temas, foi possível estabelecer um razoável consenso sobre os temas principais", diz a Acel. As principais sugestões apresentadas no "Livro Azul" foram a consolidação dos avanços obtidos na universalização e na competição; política industrial voltada à substituição seletiva e competitiva de importações; crescimento das exportações setoriais; aprovação da lei dos serviços de comunicação de massa; fortalecimento institucional pela consolidação da capacidade regulatória e de articulação entre as distintas áreas de governo; e redução da carga tributária.

Fórum presidencial

As associações também divulgaram uma publicação com as opiniões dos quatro principais candidatos à presidência da Republica sobre diversos temas apresentados pelas associações. Segundo Luiz Garcia, presidente da Acel, "o setor é tão complexo que os presidenciáveis não quiseram gravar entrevistas. Acredito que as respostas tenham sido dadas pelos assessores, mas está tudo aí". As associações apresentaram sete temas aos candidatos: prioridade para a próxima etapa; a universalização dos serviços e a sociedade da informação; a competição na prestação dos serviços; os recursos humanos na Anatel; e o desenvolvimento e consolidação da indústria nacional. A publicação destacou a opinião dos presidenciáveis sobre a tributação excessiva sobre o setor de telecomunicações.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
Top