OUTROS DESTAQUES
Telefonia móvel
Incentivos fiscais ao Nordeste atraem operadoras
quarta-feira, 19 de novembro de 2003 , 19h56 | POR REDAÇÃO

A expectativa dos analistas do mercado de ações é que a Oi, a Telecom Américas e a Vivo também corram atrás do mesmo incentivo fiscal concedido à TIM pela Agência de Desenvolvimento do Nordeste (Adene), antiga Sudene.
Vale lembrar que a Tele Nordeste Celular Participações conseguiu o direito a uma redução de 75% do Imposto de Renda e adicionais restituíveis relativos às receitas de serviços (não inclui, portanto, os handsets) por um prazo de dez anos, por se enquadrar nos setores da economia considerados prioritários para o desenvolvimento regional.
Isso significa, na avaliação de analistas ouvidos por TELETIME News, que aumentará a lucratividade delas, implicando, no caso de companhias abertas negociadas em bolsa (Tele Leste Celular e Telemar operadora), o aumento dos preços-alvo.
Jacqueline Lison, da Fator Doria Atherino, fez as primeiras contas sobre os ganhos que a Tele Nordeste Celular, em particular, terá com o abatimento do imposto: R$ 0,42 em cada lote de mil ações (R$150,3 milhões), trazendo a valor presente o efeito fiscal de dez anos. Só isso já justificaria um upside imediato de 12% sobre o valor atual. E foi isso o que o mercado entendeu, motivando a alta de 6,5% na última terça-feira. Nesta quarta, dia 19, houve realização de lucros, mas a idéia é que o movimento altista continuará.
Os pesquisadores do Unibanco foram na mesma linha. Pelos seus cálculos, o benefício já é de R$ 30 milhões em 2003. Recomendou com isso a compra (como de resto, também o Itaú e o Pactual), estabelecendo um upside adicional de 18%. Já a Espirito Santo Research, elevou o target price de R$ 4,92 para R$ 5,22, com upside potencial de 36%.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro de lideranças do mercado de telecomunicações

19 de setembro a 20 de setembro
Royal Tulip Brasilia Alvorada, DF, Brasil
Top